Já valeu a pena marcar a GREVE

Do silêncio dos gabinetes e da ditadura das propostas para o Espaço Público, está conquistada a primeira vitória que prangelresulta da marcação da GREVE pela Plataforma Sindical de Professores.

As sucessivas intervenções dos paineleiros do governo mostram que a marcação foi acertada e que mexeu claramente onde tem que mexer – no poder. Esse mesmo que no último ano despediu mais de dez mil docentes e que este ano tenta avançar pelo mesmo caminho.

Percebo, por isso, o que leva Paulo Rangel a escrever hoje no Público que se trata de

“um protesto paradoxal, porque afasta os docentes daqueles que poderiam ser os seus mais valiosos aliados, os alunos e as suas famílias.”

Creio que Paulo Rangel estaria a pensar nos Governantes do MEC que aumentaram os alunos por turma, prejudicando, com isso, os que mais precisam de apoio. Estaria, não tenho dúvidas, também a pensar no Governo que reduziu o currículo, que tirou disciplinas apenas porque era preciso juntar uns cobres para pagar a Gestoras do BANIF.

Baralhou-se certamente Paulo Rangel e atirou para o lado dos Professores, uma responsabilidade que é do governo. Repare, Paulo Rangel, se o nosso direito ao protesto é legítimo, como pensaria que os Professores se poderiam defender do provável despedimento que aí vem? Qual é o limite da luta para alguém que sabe ter o despedimento como certo?

Se tiver por aí alguém, um amigo ou familiar Professor, faça-lhe esta pergunta: “Vais ser despedido em Setembro. O que é que achas que os teus sindicatos têm que fazer?”

Será que nos quer deixar alguma sugestão ou prefere deixar essa sugestão  para os militantes do seu partido das Direcções de alguns sindicatos que a toda a hora fogem às suas responsabilidades?

Fecho o post com uma nota simples, mas que esclarece algumas coisas. Os Sindicatos de Professores, tantas vezes divididos resolveram unir-se e marcar um conjunto de lutas bem mais amplas do que a simples Greve aos Exames:

 Convocação de  uma Manifestação Nacional de Professores, Educadores e Investigadores para 15 de junho, em Lisboa; Convocação de greve ao serviço de avaliações para os dias 11, 12, 13 e 14 de junho, bem como a convocação de Greve Nacional de Professores, Educadores e Investigadores Portugueses para 17 de junho.

Comments

  1. António Duarte says:

    Espantosa a hipocrisia deste Rangel que chegou a ser falado para ministro da educação mas preferiu o remanso do Parlamento Europeu, onde se ganha bem, trabalha pouco e não se perde popularidade.

    Reconhece que os líderes são muitas vezes factores de incerteza e desnorte, mas não diz quando nem quais. Os professores que façam das tripas coração e dêem aos alunos a estabilidade e o bom senso que os políticos não têm. Que ele tem mais que fazer, está no bem bom e não se quer indispor com a gente do seu partido.

  2. manuel alves says:

    quando as pessoas deixarem de ser apenas expectadores e passarem a activistas das as organizações a que pertencem a luz brilhará e haverá triunfo.

  3. Professora contratada nas escolas Sec. de Palmela e Básica Hermenegildo Capelo says:

    O Paulo Rangel é apenas um “democrata” na defesa daquela ideia: “todos temos direitos, mas uns têm + do que outros”. Nós professores temos, por exemplo, o direito a lutar pelos nossos direitos (desculpem a redundância) , desde que não coincida com os “direitos” dele e da corja que tanto defende.

    O poder instalado está abalado com as novidades…
    A IDEIA DE QUE OS PROFESSORES SE ESTÃO A UNIR, ARREPIA.

    Acho que é desta que alguns vão deixar de dormir, não há ioga nem técnicas de relaxamanto que lhes permitam manter a serenidade de uma noite tranquila. Felizmente, para eles, não é a consiência que lhes pesa, por não a terem, mas a ameaça da falta de mordomias e previlégios desmesurados, que está em risco.

  4. celesteramos.36@gmail.com, says:

    Rangel ?? faz-me ranger os dentes – e porque será que de repente tem cabelos brancos ?? Está desbotado, trabalha muito ou anda muito “ralado” ? Ai os senhores (alguns) acham que o futebol é para menores mentais ?? pois vou levantar o som porque falam na tvinformação sobre o Passos Ferreira e o bemfica e os “rangeis” não se preocupam com a dimensão cultural (e informativa claro) em ter 4 canais de TV que não são canais – são esgotos a céu aberto de que ele até usa e abusa mas quando é a Europa XXI – e até acho graça pois que também os comentadores adoptaram aquele penteado à “galo” de cabelinho eriçado no centro da cabeçorra – mas que maravilha de descontração – ainda não vi tal em nenhum deputado e ministro mas gostaria de os ver assim – ou melhor – gostava que se eclipassem – e que raiva o OA ter invadido o texto do computador – quem decidiu ?? ainda foi aquele senhor de quem já não se fala ?? e não canta – ou cacareja ? Não sei

  5. celesteramos.36@gmail.com, says:

    O “plantel” governamental está de pedra e cal – Em equipe vencedora não se mexe
    E porque é que merkel e schaub e lagarde andam tão desaparecidos dos écrans ? já fizeram todo o trabalho que tinham a fazer ?? andarão a xutar-nos do euro discretamente pela calada ? Como teria sido onteontem o “conselho” de belém que demorou 7 horas ?? desta vez nenhum jornalista disse cá para fora nem boatos – e Mendes e “o outro” ?’ estou doida para os ouvir mas “perdí-me” em canal que ainda não onvadiram

  6. celesteramos.36@gmail.com, says:

    onvadiram ?? claro que me distraí e não escrevi invadiram – memória do teclado hcezarops-qtdinuldx – isto de mudar não é comigo – preciso de estabilidade ??

Trackbacks


  1. […] há nada como o povo mexer-se para eles começarem logo a sair do armário. Tal como escrevi há dois dias, já valeu a pena marcar a GREVE, ou antes as GREVES, porque já aconteceram duas coisas […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.