Viva a República, seu feriado e heróis

 A fama dos dois homens enchera as bocas e as almas; à porta da necrópole, durante alguns domingos, vendiam-se postais com os seus bustos e os garotos gritavam: “Olha o retrato do Costa e do Buiça… Olha o retrato dos mártires!”

Rocha Martins, O Regicídio

.

manuel Buiça 1908

Comments


  1. Se te fosses foder seu comuna de merda, era um favor que nos fazias a todos.

    Tens tu a lata de vir para aqui vangloriar os assassinos do senhor D. Carlos e o seu seu filho.

    João José Cardoso, tu não foste parido, tu foste cagado seu filho de uma cabra.


    • Que doçura. Os súbditos são assim.


    • Vais ter uma crise de epilepsia se não te acalmas !
      Já reparaste que Buiça rima com Catrapiça !!!
      Nota da redacção :- Catrapiça era um artefacto com que os reis
      faziam cócegas às cortesãs atrás das orelhas !!
      Não sabias pois não ?

    • Joaquim Carlos Santos says:

      Sou simpatizante da causa monárquica. Não gosto do tom provocador do meu amigo João José Cardoso. Mas gosto mais do João José Cardoso do que estou disponível para me escandalizar com o que pense. Não sou comunista nem posso ser anti-comunista.

      Ao JJC é preciso respeitá-lo, amá-lo, compreendê-lo e opor-se-lhe com génio e inteligência, especialmente num âmbito muito dado às lógicas branco/preto, maus/bons, quente/frio por que certa cultura de pensar fez o seu trajecto secular.

      É preciso também que tenhamos aquela tolerância editorial e aquela paciência benevolente por que se pautou a Monarquia Constitucional na maior parte do tempo e a República inicial destruiu, forjada em sangue, em jacobinice, caos, balbúrdia, acotovelamento ávido do mando, pensamento único, a baixeza indigna dos assassínios, das purgas, sangue e mais sangue, até ao cansaço-acalmia de uma Ditadura da qual alguns depois se queixaram, quando precisamente abriram caminho a ela pela morte estéril e equivocada de um Chefe de Estado. Digam-me um só exemplo de utilidade e benefício humanitário ou democrático de um tal tipo de assassínio.

      Notoriamente o País pagou caro o regicídio, a desgraça desse assassínio covarde e inútil. Não será, porém, a revolução, mas a aclamação que mudará as lógicas pervertidas do actual Regime em Portugal com as suas elites viciosas. Não será talvez uma tarefa para esta geração, mas para cem ou mais anos de persuasão, comportamento exemplar, argumentos racionais e de bom senso.

  2. 5 Outubro 1143 sempre says:

    Como diria Fernando Pessoa, este é mais um esfarrapado mental desta triste republica de chulos e vigaristas.

    • Pimba says:

      O que aconteceu de relevante a 5 Outubro de 1143?
      O “Tratado de Zamora” näo foi com certeza, já que é uma invençäo histórica…!


  3. Na pátria onde Pessoa morreu de bêbado, todos se emborracham com o Fernando.

  4. Mário says:

    Para o João José Cardoso, o Costa e o Buiça são “Heróis”.

    Estas são as tais pessoas “pacíficas” que condenam a Aurora Dourada por matar um raper à facada, mas depois vêm para a blogosfera glorificar os assassinos da Carbonária e da Maçonaria…

  5. Orlando Braga says:

    O que eu penso da esquerda marxista (existe outra?):

    Neste espaço escrevo aquilo que eu quiser e me der na real gana. Quem não concordar com as minhas ideias, ou as contesta ― no seu blogue ou nos comentários deste ― e com pés e cabeça, ou aconselho a visita a outros sítios.

    1. Eu tenho experiência pessoal de vivência em dois tipos de ditadura: a última fase do Estado Novo (Marcelo Caetano), e o regime marxista da FRELIMO em Moçambique.

    2. Quando eu critico o marxismo e os marxistas, faço-o com experiência própria e com tarimba sobre o assunto. Não critico o marxismo porque li umas coisas aqui e ali: falo porque tive a experiência pessoal de viver num regime marxista.

    3. Na minha opinião, existem dois tipos de marxistas: os bem-intencionados, que podem ser caracterizados pela figura do “ingénuo” da teoria de Cipolla sobre a estupidez humana, e os filhos da puta.

    Os bem intencionados serão a maioria dos marxistas ― aqueles que não fazem a mínima ideia do que é viver sob uma ditadura marxista. Geralmente são pessoas comuns que estão convencidas de que é possível construir o paraíso judaico-cristão na Terra.

    Os filhos da puta são os ideólogos e os políticos marxistas. Estes devem ser combatidos sem quartel: ideologicamente, e se necessário recorrendo a outro e qualquer tipo de armas. O marxismo e as suas derivações revolucionárias devem ser eliminadas e extirpadas em todo o mundo.


    • “Neste espaço escrevo aquilo que eu quiser e me der na real gana. Quem não concordar com as minhas ideias, ou as contesta ― no seu blogue ou nos comentários deste ― e com pés e cabeça, ou aconselho a visita a outros sítios.”
      Mas isto é belo. Lindo. Vens ao meu blogue, ao meu artigo, estabeleces as regras, olhas para o fogo e recolhes as canas dos foguetes. Um verdadeiro tratado.

  6. ocni says:

    quem com a ferros mata, com ferros morre.
    Preferindo a republica à monarquia considero que a primeira republica foi uma vergonha para portugal.
    Não foi democrática, os resultados eleitorais eram falsificados, cometeu abusos piores que a monarquia anterior, foi o terreno que preparou a ditadura que se lhe seguiu.
    Sendo eu adepto do regime republicano tenho vergonha da primeira republica.

Trackbacks


  1. […] simpatizante da causa monárquica. Não gosto do tom provocador do meu amigo João José Cardoso. Mas gosto mais do João José Cardoso do que estou disponível para me escandalizar com o que […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.