A reestruturação da dívida grega e agenda alemã

Merkel

Com as milícias de extrema-esquerda entrincheiradas na linha da frente da batalha pela reestruturação da dívida grega, a poderosa chanceler continua a resistir, enfiada no seu bunker berlinense. Angela Merkel prefere deixar o FMI fora do terceiro resgate à Grécia do que aceitar a sugestão do Fundo de reestruturar a dívida, nem que isso signifique colocar toda a pressão de um eventual incumprimento sobre as economias fragilizadas dos estados membros da União Europeia. Para quem lidera um país tão experiente em calotes, o fanatismo do executivo alemão é admirável.

Assim, e segundo o jornal alemão Die Zeit, citado pelo Expresso, a solução proposta pelo executivo alemão passará pela prestação de garantias da União Europeia ao Fundo Monetário Internacional que acautelem potenciais perdas, para que este possa participar na nova intervenção deixando cair a exigência de reestruturar a dívida grega. Se correr mal, a Europa a 28 paga. Se correr bem o FMI leva a sua fatia. O problema é que o Fundo entende que a dívida de Atenas é insustentável e impagável nas condições actuais, motivo pelo qual vê a sua participação no resgate com apreensão. Já Merkel prefere avançar em direcção ao abismo e arrastar a Europa consigo. Sensato vindo da parte de quem tem na catástrofe grega um negócio tão lucrativo. No dia em que a dívida se tornar sustentável e pagável, a torneira pode muito bem começar fechar.

Comments


  1. O FMI é norteamericano, acho que a Angélica não deixa o FMI de fora porque tal coisa é impossível… está sempre por detrás… aliás quem manda na Alemanha são os EUA… deixem-se de histórias,,, eles ganham sempre, enquanto os países lhes servirem como escravos!!

    • Nina says:

      Finalmente encontro uma pessoa sensata que está a par da verdade !
      Os outros só teem inveja da Alemanha.
      Parabéns!!!!!!!!!!!!


    • É impossível porquê? Porque não se consegue fazer um resgate sem a participação do FMI? Com base em quê é que afirma tal coisa? E essa dos EUA mandarem na Alemanha vale tanto como eu lhe dizer que o Bilderberg é que manda nos dois. De resto os EUA tem sido a favor do alívio da dívida grega, ao contrária dos alemães? Mas… então os americanos não mandam neles? Ai que mal comportados, vai tudo levar umas palmadas para Guantanamo. Enfim…


  2. Eu só por momentos vi as reuniões do eurogrupo ou do Concelho, mas reduzir as coisas a isto, parece-me fantasia a mais. Eu era incapaz, por ignorancia e falta de imaginação de afirmar tanta tal estória.