Por falar em ditaduras de esquerda

Angola

Arrumadas as bandeiras e sossegado o triunfalismo, a narrativa da coligação PSD/CDS-PP adaptou-se ao cenário pós-eleitoral e, acordada que parece agora estar para a triste realidade socrática em que o parlamento lhe é maioritariamente hostil, viu surgir o novo bicho papão, em linha com a estratégia do medo que marcou a campanha eleitoral: a ditadura de esquerda. Ao que tudo indica, se o PS conseguir formar governo com BE e CDU, Portugal será estalinizado, toda a economia será nacionalizada e cada distrito verá nascer o seu próprio gulag. Façam o favor de ter medo que a coisa não é para brincadeiras.  

Mas por falar em ditaduras de esquerda – sim, os gajos respondiam pelo nome de marxistas-leninistas até à pouco tempo atrás, mas agora parece que foram ao registo civil mudar para social-democratas, o que em bom rigor continua a ser esquerda – existe uma ali em África onde todos os dias se atropelam direitos humanos. Onde se matam e maltratam pessoas que divergem do pensamento único imposto pelo regime do carniceiro José Eduardo dos Santos. Uma dessas pessoas, entre tantas, é Luaty Bierão, um luso-angolano encarcerado desde Junho que faz parte de um grupo de 17 jovens acusados pelo regime angolano de prepararem uma rebelião e um atentado contra o presidente. Pelos vistos liam livros, e toda a gente sabe que malta que lê livros e uma ameaça à segurança de qualquer Estado.

Perante este cenário, em que uma ditadura de esquerda subtraí a liberdade de um português, o que diz a nossa direita governamental, a braços com uma rebelião que poderá resultar num outro perigoso regime ditatorial de esquerda? Não se imiscuí:

Nós estamos a acompanhar do ponto de vista humanitário, visto que se trata de uma matéria interna de Angola, no que diz respeito ao problema da averiguação se existe ou não existe uma infração de caráter penal. Nisso não nos imiscuíamos. [Rui Machete]

Estamos conversados quanto a ditaduras de esquerda. Os partidos (ainda) no poder dão-se bem com elas. Não se imiscuem.

Comments

  1. joao says:

    O ps ou o pcp fazem-no único partido com condenação oficial que eu saiba é o bloco

    • A.Silva says:

      Vá ver a posição que a CDU tomou na Assembleia Municipal de Lisboa


  2. «Eh, meu irmão, que é que tens» – como diria o Sérgio Godinho.

  3. anonimo says:

    “Estamos conversados quanto a ditaduras de esquerda. Os partidos (ainda) no poder dão-se bem com elas. Não se imiscuem.”

    Já falta pouco para que o novo governo (PS apoiado pelo PCP e BE) tome posse e se imiscua (a sério, não é com comunicados).