A Manuela, os velhos e os novos

Manuela Ferreira Leite discorre sobre as eventuais alterações nas estratégias do PCP atribuindo-as à juventude, renovação – como se a idade fosse condição necessária e suficiente para explicar estas coisas – e ao facto destes jovens não saberem o que é o Tarrafal e coisas que tais. Olhe que sabem, dona Manuela. E aos que não sabem, permita-me que lhes chame a atenção para o facto do Campo da Morte Lenta do Tarrafal ter sido reaberto por aquele senhor que esteve, há dias, quase uma hora a verberar a “natureza” dos comunistas e a pregar-nos princípios morais e santidade cristã. O senhor chama-se Adriano Moreira, era ministro de Salazar e a ele se deve uma das fases mais ferozes deste Campo. Como a democracia portuguesa é generosa e tolerante, este facto tem sido esquecido e o dito senhor até foi – et pour cause – presidente do CDS.

Não queremos reabrir feridas, mas também não estamos dispostos ao regresso da arrogância autocrática que fez esses feridas. Os velhos sabem, porque viveram. Os novos, porque aprenderam e não querem viver o mesmo.

Comments

  1. Nascimento says:

    Certeiro. Mais uma vez. Escreve o que eu pensei na noite em que eu ouvi e vi um asqueroso ( hoje um pensador onorevole signore dos mérdias e tutti quanti), fascista. Há que não ter medo nenhum de utilizar a palavra. Sempre fidelíssimo de sua santidade o Botas. Ainda hoje o é. Diga ele o que disser. Pinte a tela de cores ” sociais cristâs”, ela tem sempre por base a cor castanha, ou, se se preferir, negra…

  2. martinhopm says:

    Não foi esta senhora que, em 2008, sugeriu que se suspendesse a democracia por 6 meses, para colocar tudo na ordem? Não anda longe do católico, apostólico, romano, (ante Francisco) Adriano Moreira e de outros do CDS. Mais palavras para quê? Ensaboar a cabeça a burros?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.