São os recursos humanos, estúpidos!

O mundo tem sido invadido por extraterrestres com ar de pessoas sérias. Em vez de serem verdes e terem dedos compridos, usam MBA e gravata. Com a típica habilidade dos marcianos, conseguiram convencer os terráqueos de que era preciso trabalhar mais horas e que havia Estado a mais e que o que era preciso era empreendedorismo, seguros de saúde e competitividade e que é cada um por si e que o mexilhão é mesmo para se lixar.

Em 2005, deu-se, então, início a um processo de desmantelamento dos serviços públicos, ao mesmo tempo que se abre caminho para que os privados ocupem o espaço, com destaque para o que acontece na Saúde.

Independentemente da conversa extraplanetária do coordenador de um relatório sobre os blocos operatórios, com demasiadas alusões a termos como oferta e procura, vale a pena fixar a seguinte ideia: faltam anestesiologistas e enfermeiros. Camilo Lourenço, de Plutão, no entanto, já disse que não há nada melhor do que ter profissionais de saúde a emigrar. É o que dá passar muitas horas dentro de discos voadores.

Comments

  1. ZE LOPES says:

    Ó António Nabais: exstindo um Camilo Lourenço, para quê mais anestesiologistas? Cada vez que tenho o azar de ver “A cor do dinheiro”, nem que seja de passagem, fico em coma profundo. Tenho de ser mesmo reanimado. É só colocarem écrans nos blocos operatórios e está o caso resolvido. E com evidentes vantagens, em termos de custoa para o SNS. Por isso compreendo o apelo á emigração. Só que, se fosse eu, não arriscaria ir para um país onde se apanhe a RTP.

  2. ZE LOPES says:

    Há uns bons anos li um livro cujo título era, se não me engano, “Ventosas da Demência”. Relatava um ataque de polvos invisíveis vindos de Plutão à boleia de um satélite enviado pelos americanos, que pousavam na cabeça dos terráqueos e lhes sugavam o fósforo do cérebro, deixando-os em estado de loucura. A explicação deste comportamento era o facto de, em Plutão, o fósforo ser abundante. Como aqui na Terra não se passava o mesmo, os bichos atacavam os humanos. Tudo se resolveu quando um tipo, talvez um português, já não me recordo, inventou uns capacetes e salvou a raça humana. Pensava que era uma novela de ficção científica mas, já que o Nabais revela que o Camilo Lourenço vem de Plutão, deve ser, na realidade, uma obra muito realista.


  3. Devemos formar muitos, nas escolas publicas “nossas” porque os países mal orientados como a Alemanha,Inglaterra…precisam deste apoio dos portugueses. a fornecer licenciados que custam zero euros.Continuem arautos da escola publica “nossa” (deles claro) gratuita para todos.


  4. Um fascista, é sempre um fascista…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.