A crise que se segue: Deutsche Bank, os mercenários de serviço e o OE16

AW1

A Mariana Mortágua explica tudo no seu artigo de ontem no Jornal de Notícias: há um incêndio na Europa e um batalhão de burocratas sem escrúpulos em negação. O Deutsche Bank arrisca-se a ser o próximo Lehman Brothers, depois de ter anunciado perdas no valor de 6 mil milhões de euros, a que se juntam 65 triliões de euros acumulados em derivados, o que equivale a 20 vezes o PIB alemão. Se a isto juntarmos a crise dos refugiados, a eventual saída do Reino Unido da UE e, acrescento eu, a insistência na imposição dessa não-solução chamada austeridade, que ao invés de resolver aprofunda os problemas europeus, a conclusão só pode ser uma: o problema da União é o orçamento de estado português. Só pode ser essa a justificação para o nervosismo dos mercados. Pelo menos pela óptica da direita nacional e do seu ministério da propaganda, sempre firmes ao serviço da direita neoliberal europeia. Quem quiser, como sugere Mortágua, ver para além da porta da gaiola onde esta gente nos enfiou, percebe que tudo isto não passa de uma forma moderna de totalitarismo, onde a violência física é substituída pela imposição do medo levada ao extremo, que explora os instintos mais primários do ser humano. Já era tempo de corrermos com estes mercenários.

Imagem via Rabble.ca

Comments

  1. eu avento says:

    O problema da União é o orçamento de estado português e… e… e… O SÓCRATES !!!!!

  2. Rui Silva says:

    O que mais gostei no artigo da Mariana Mortágua foi da Propaganda pura e dura:

    “Verão de 2007. Portugal estava a banhos e descansava sobre um crescimento económico de quase 2,5%, a que se juntava o défice abaixo das exigências de Bruxelas e uma dívida de 68% do PIB.”

    Eu acrescentaria ainda mais , por exemplo, em relação á inocente Grécia , que nesta altura ( 2007) apresentava indicadores económicos ainda mais “robustos” que os nossos.

    O pior é que, podemos mascarar os indicadores económicos, mas não a realidade, que como o azeite acaba sempre por vir ao de cima.

    cumps

    Rui SIlva


    • Sempre um prazer receber a visita de tão destacado pafista!

    • Nascimento says:

      Apresentava, e eles ( alemães, françêses ,e demais banca, nem sabia o que se passava na Grécia), não foi meu monte de merda?
      Por isso até vendiam submarinos, aviões, fragatas e tutti quanti aos gregos! E no que toca aos Jogos Olimpicos, ui, foi um fartar.
      Quem é que estava no poder? Ena pá… eram o amigos do PP/ OU DOS XUXIALISTAS EUROPEUS??? Já sei, era a malta esquerdalha do SYRIZA!!! Não era ó Ruizinho??
      A ” realidade”? Aquela que tanto gostas de apregoar é analisada por que olho? O do teu traseiro, não é? Só pode..

    • Nightwish says:

      Ó inteligência, e que indicador, português ou grego, é que estava mascarado em 2007? E que importância é que isso teria dentro de uma verdadeira moeda única com um verdadeiro banco central?

      • Rui Silva says:

        Caro Night Wish,

        Os indicadores estavam correctos, o que está mal é a forma de calculo.
        Só a desorçamentação ( divida escondida ) colocaria o Défice em números estratosfericos ( como agora se diz). Para não ir mais longe, pense um bocadinho no chamado sector empresarial do estado…
        Claro que há por aí muita inteligência a dizer que apesar de tudo o crescimento era de 2,5. Eu até diria que com a técnica usada é muito pouco. A recorrer ao endividamento até me pergunto porque não pôr a economia a crescer 8 ou 10 ou 15 %.
        Ah ! é verdade temos de pagar juros do dinheiro “atirado” para economia.
        Você devia saber que o investimento terá de gerar um crescimento superior ao juro pago pelo capital, caso contrário sabe o que acontece? Se não sabia passou a saber em 2011 – Falência.
        A economia real não mente e tão pouco pode ser contornada pela contabilidade criativa

        cps

        Rui Silva

        • Rui Silva says:

          Em relação á sua observação sobre o Banco Central.
          Deixe-me dizer-lhe que o posicionamento de banco central em relação a políticos irresponsáveis e corruptos é de primordial importância. Por razões evidentes.

          cps

          Rui Silva

          • Nightwish says:

            O problema é que não compete a um banco central decidir o que é ou o não é responsável, até porque, como se vê, a recuperação só está na cabeça do Draghi.

          • Rui Silva says:

            E-lhe mesmo difícil perceber, não é ?
            Realmente não compete ao BC fazer juízo de valor sobre os políticos. Repare que você é que falou nisso. Porque para si alguém tem que estar sempre a mandar em alguém.
            A função principal do BC deve ser o controlo de Massa Monetária em depósitos e em circulação, que juntamente com o calculo da inflação, lhe dará a informação se deve emitir mais moeda ou não, para que não falte liquidez na economia. A emissão de moeda não devia ser por imposições politicas, pois isso dá muito mau resultado . Exemplos não faltam: Argentina , Zimbabue, Venezuela, Alemanha etc, etc…

            cumps

            Rui SIlva

          • joão lopes says:

            o deutsh bank é a prova da incompetecia alemã.supostamente os alemães são trabalhadores,disciplinados e ordeiros e depois de inventarem a “austeridade” para tirar ao contribuinte para dár ao deutsch ,tem o desplante de muito provavelmente apresentarem uma falencia bancaria por pura incompetecia de gestão.shame on you…

          • Rui Silva says:

            Para mim o que que é mais importante é que o contribuinte português , onde eu me incluo, não seja obrigado a contribuir para esse peditório.
            Se os alemães quiserem segurar o banco, que o segurem com o dinheiro deles, enquanto o dinheiro for dos alemães para mim está tudo bem. Cada um deve pagar as suas incompetências seja a Alemanha, ou a Grécia ou outro qualquer.

            cumps

            Rui Silva

          • joão lopes says:

            eu sou contribuinte portugues com impostos em dia(julgo eu,nada é certo hoje em dia),mas chame-lhe tsipras ou dr.shauble ou gaspar ou governo austriaco a dar pontapes em refugiados sirios,é uma vergonha,esta europa “civilizada” e profundamente egoista.

          • Rui Silva says:

            Vá á fronteira buscar alguns para sua casa como já foram alguns portugueses ainda à pouco tempo.

            cps

            Rui SIlva

          • Nightwish says:

            “Realmente não compete ao BC fazer juízo de valor sobre os políticos”
            E, no entanto, não faz outra coisa desde 2008, mesmo que não tenha modelo económico que o suporte.

            “Para mim o que que é mais importante é que o contribuinte português , onde eu me incluo, não seja obrigado a contribuir para esse peditório.”
            Não tem feito outra coisa desde 2010 senão pagar os investimentos desses bancos.

          • Rui Silva says:

            E você tem apoiado alegremente.

            RS

          • Nightwish says:

            Eu gosto de ter uma economia moderna a funcionar ao caos que acontecerá quando o euro acabar a mal, mas preferia que as regras fossem outras. O seu líder gostou de nos pôr a pagar e ainda queria mais.

        • Nightwish says:

          E sabe o que acontece quando o estado não investe? Olhe para a estagnação europeia e verá o cenário para as próximas décadas, mas se calhar até gosta e chama-lhe recuperação. Tem só um pormaior, à banca acontece o mesmo que ao Deutsche Bank. Agora continue lá a pagar à banca estrangeira como um bom menino.

          • Rui Silva says:

            O investimento do Estado em Portugal desde 2000 para não ir mais longe , porque foi o período que mais investiu veja o que acontece: Bancarota !
            Mas você continua a pensar que o Estado deve investir.
            Em relação ao Deutsche Bank espero que não tenhamos que pagar. O Estado Portugues deve, sim a isso, bater o pé.
            Para onde já, pagamos de facto , e não gostei, foi para a Grécia.Mas parece-me que você gostou.

            cps

            RS

          • Nightwish says:

            A crise não teve, nem tem, nada a ver com a dívida nacional.
            Prefiro pagar aos meus compatriotas do que continuar a salvar bancos para manter o rendimento de capitalistas, sim.


    • Assim como o Deutsche Bank?

  3. tancredo says:

    Há três anos na QdC, António Costa falava grosso: “Nós fomos financiados para desmantelar o têxtil, porque a Alemanha queria que abríssemos o nosso mercado ao têxtil chinês. Era a moeda de troca para a entrada dos teares alemães na China”. E foi muito bem dito!
    Nessa altura já se conhecia o triste resultado. Mas mais triste ainda é agora o silêncio de António Costa sobre o assunto.
    .
    Isto porque o Mito do Mercado “Livre”, vai continuar a mistificar outros bens conforme os interesses dos donos do “mercado livre”.
    .
    Ai Costa, Costa, perdeste o puí ou estás com cagúfa?
    .

    • Ferpin says:

      Já que aparentemente você é homem sem cagufa, lanço-lhe uma pergunta:
      Que vai fazer você para resolver esta questão?
      E dizer que não tem poder para resolver isto não serve, o Costa pode dizer a mesma coisa.
      Na realidade prefiro um Costa que concorda com as suas ideias e protestou o que pode na UE, a um passos que quis ir além da troika, ou seja discorda de si na má opinião sobre a Europa e a a austeridade, que claro acha boa pois entende que o povo viveu acima da sua possibilidades.


  4. o verdadeiro problema é que só a demagogia ganha eleições e na hora da verdade todo o mundo têm barriga e se vê o vizinho a orientar-se também quer, quando vêm a fome todos ralham e ……..!!! tenho dito!!!

Trackbacks


  1. […] Deutsche Bank, alemão que é, tem que ser, nem podia ser de outra maneira, magistralmente gerido. Se ultimamente tem dado problemas, tal encontra explicação nos focos de sovietização que se […]