Muito obrigado, Pedro Passos Coelho


ppc2

Imagem via Uma Página Numa Rede Social

A revolta instalou-se porque o PSD se prepara para chumbar a descida da TSU, como forma de compensar o aumento do salário mínimo nacional (SMN). Honestamente, não percebo o frenesim. Mas alguém esperava que este PSD, dominado pela liderança mais radical de que há memória, fizesse o frete ao governo minoritário de António Costa? Francamente.

Mas ai e tal porque o PSD defendeu, por diversas vezes e num passado muito recente, a redução da TSU. Chegou mesmo a criar uma grave crise política numa das tentativas, ainda que, nesse caso, a baixa da TSU fosse contrapartida para o aumento da contribuição dos trabalhadores para a Segurança Social, e não para o aumento do SMN. Sim, tudo isso é verdade. Mas, e daí? Será que a incoerência do laranjal passista encerra em si alguma novidade? Não vimos já esse filme por diversas vezes?

ppc1

Imagem via Uma Página Numa Rede Social

Olhemos para as coisas como elas são. Partidos como o PSD de Passos não trabalham em função do interesse nacional. Os seus interesses são outros e a agenda que pautou a sua governação demonstrou-o. E a suposta inevitabilidade dessa agenda, apresentada aos portugueses como um caminho sem alternativa, caiu por terra à medida que o acordo de esquerda foi demonstrando que era possível devolver rendimentos e direitos aos alvos preferenciais do experimentalismo a que o país foi submetido, com o alto patrocínio desse mesmo PSD, que não descansou enquanto não foi além do exigido pela Troika.

Pouco ou nada corre bem na corte de Passos Coelho. É a democracia representativa que é uma chatice, é o acordo entre os partidos de esquerda que não durava um mês e já dura há mais de um ano, são os orçamentos de Estado que não seriam aprovados, é a devolução de rendimentos que não era possível, era o défice que ia disparar mas que, tudo indica, será um dos melhores, senão o melhor, da era democrática, apesar dos vaticínios aritméticos anedóticos da sua general, são as sondagens devastadoras, as facadas dos tenentes, a ameaça interna. A sério que alguém esperava uma posição diferente? Que, depois de serem reduzidos a pesos pluma, com níveis de popularidade em mínimos históricos, iriam facilitar a vida da Geringonça? Yeah, right…

O PS assinou acordos com os seus parceiros parlamentares. Em todos eles, de forma clara, a descida da TSU dos patrões não é opção. Uma escolha irrevogável que Costa não pode comprar com promoções ou ministérios. As posições do PCP e do Bloco, desalinhadas com a proposta do PS, são absolutamente coerentes e legítimas. Como é legítimo que o PSD não queira dar a mão ao governo. A diferença é que o PCP e o Bloco não mudaram a sua posição para fazer guerrilha parlamentar. Já o PSD, que há muito fechou a credibilidade na mesma gaveta onde a social-democracia se encontra enclausurada há vários, mudou a sua posição por mero tacticismo. O tacticismo que o obrigará, no dia em que a medida for apresentada no Parlamento, a votar ao lado dos perigosos partidos de esquerda que tanto critica, o que já lhe valeu reprimendas de barões como Silva Peneda ou Marques Mendes. Que enfraquece a sua posição face à Concertação Social, que de resto fica avisada: com esta liderança, os interesses do partido estarão sempre à frente. Que o torna alvo de chacota por parte do PCP e do Bloco. Que, de resto, permitirá anular uma péssima medida para os trabalhadores e para a sustentabilidade da Segurança Social. Que, no caso de esquerdalhos como eu, nos permite celebrar por dois motivos: porque a medida não avança e porque este PSD demonstra, uma vez mais, que está disposto a sacrificar o que resta da sua credibilidade para alimentar birras e politiquices. Só posso estar agradecido a Pedro Passos Coelho. Vê-lo cair, mais ainda quando por iniciativa própria, não tem preço.

Comments

  1. Rui Naldinho says:
  2. Camaradas says:

    Vergonhoso o psd não dar a mão a este governo, mas concordo com o ps quando não deu a mão ao governo do psd e vetou o seu governo.

  3. Manuel Duarte says:

    Deixem-me ver se entendi bem: o PS foi contra a descida da TSU no passado, mudou de opinião, isso é saber governar e inteligência. O PSD foi a favor, mudou de opinião, isso é uma pulhice. Percebi bem, não percebi?
    Agora a sério, os spin doctors do PS acham que nós somos muito estupidos, não acham?

  4. José Peralta says:

    Vê-lo cair, mais ainda quando por iniciativa própria, não tem preço.

    Tem preço tem ! Os Portugueses já o pagaram antecipadamente, durante QUATRO ANOS E MEIO de canalhice, ignomínia e mentira demencial e obscena !

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s