Números que passam despercebidos

Pois é, Jorge. A emissão de dívida de curto prazo com juros negativos recorde não foi merecedora de grandes manchetes, o que é de estranhar visto vivermos num país onde a imprensa, toda ela e sem excepção, se encontra ao serviço da máquina soviética da Geringonça. O mais certo é nem ter havido emissão de dívida nenhuma. Se houve, com certeza que terá sido a habitual catástrofe, com juros altíssimos e perigo de resgate ao virar da esquina.

Da mesma forma, passaram despercebidos os números revelados anteontem pelo Eurostat, esse barómetro comuna, que dão conta de um crescimento do emprego na ordem dos 2,4% no quatro trimestre face a igual período de 2015, mais do dobro da média europeia (1%) e da zona euro (1,1%). E passaram bem porque só podem ser um grande barrete. Qualquer pessoa de bom senso percebe que um país controlado por comunistas e bloquistas não cria emprego.

Cartoon via Unique Design

Comments


  1. A imprensa cala num sofrido silêncio tudo aquilo que contraria os seus supremos interesses. Quando aos dados do Eurostat pelas mesmas razões deixam de interessar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.