Roubar dinheiro aos mais pobres

Serve exactamente para quê?

Para poupar?

Vejamos – alguém que ganhe 1000 euros ou menos, no nosso país, tem dois destinos para o seu dinheiro: a economia, por via do consumo e uma ou outra aplicação bancária, quase sempre um pequeno depósito a prazo.

Percebo tanto de economia como o Major de timing para homenagens, mas parece-me que o nosso país precisa de ambos como de pão para a boca: de dinheiro na economia e de poupanças.

Assim, o motinhas e o aldrabão, só conseguem uma coisa quando tiram dinheiro aos titulares de pensões de sobrevivência: afundar ainda mais o país. É verdade que poupam uns tostões (milhões), mas como a economia vai piorar o resultado será, como se tem visto nos últimos dois anos, sempre um desastre.

Em jeito de conclusão: mais portugueses ficarão abaixo do limiar da pobreza e o país cada vez pior. E estes imbecis que não conseguem parar de escavar.

Um não, dois!

Bem atravessados!

 

Os putos

Os últimos dias devem ter sido os mais surreais de que há memória na história política portuguesa. De um lado, um primeiro-ministro morto, do outro um ministro de Estado suicida e um Presidente da República que. Sim, que. Ninguém consegue perceber muito bem o que vai na cabeça daquele senhor para não ter ainda demitido o governo e convocado eleições antecipadas. O que move esta gente? Bem, vamos por partes. [Read more…]

Zandinga post (2): os sindicalistas são uns malandros

Os boys pagos com o nosso dinheiro e que estão ao serviço do Governo vão aparecer a criticar os sindicatos, os sindicalistas, quem faz greve… É um excelente sinal! Preocupado ficaria se nos viessem aplaudir! Ou então, como no tempo da Maria de Lurdes, se viessem descer a Avenida no meio das nossas manifs

O meu antidepressivo

 

Os amigos são o melhor antidepressivo! Passa-se uma tarde com eles e eis que esquecemos o que queremos esquecer! E até há dores físicas que se atenuam. Qual comprimido, qual bebedeira, qual carapuça!

E não são precisos muitos (amigos, entenda-se). Poucos mas bons, eficazes no combate a dores de muita ordem!

Estar com eles é também viajar sem sair de casa… é fazer férias sem gastar muitos tostões! Levar um vaso para ele colocar na janela e um bolo de iogurte feito com ovos caseiros (de preferência) para completar a mesa que ele já tem preparada à nossa espera, tão farta. Recordam-se momentos juntos, rimos a ver fotos, etc. O tempo passa a correr. As suas fobias e problemas são semelhantes aos meus e tudo se mistura com um copo de vinho escolhido cuidadosamente. E assim passamos uma boa tarde e a vida se revela menos difícil.

Quem tem amigo(s) tem tudo.

Sempre a “sacar”

Há cento e poucos anos, berrava-se até mais não com a questão dos Tabacos, com o “caso Hinton” ou com os negócios do Crédito Predial. Há bem menos tempo tivemos 1000 casos do “tipo crédito predial”, condensados apenas no BPN e no BPP. Os Tabacos foram mais de dez mil vezes ultrapassados por auto-estradas, sucatas quase novas, projectos para aeroportos, Expos, gabinetes de estudos de e para amigos, fundações, comissões instaladoras, contentores à beira rio, sacaria azul para os sátrapas, Euros da bola, PPP’s, etc, etc. Como estocada final, um regime caiu devido a “Adiantamentos” decorrentes de uma lista civil que não era actualizada há… oitenta anos! Imaginam Belém sobreviver com a dotação dos tempos do início dos mandato do Marechal Carmona?

Pelos vistos, o país não tuge nem muge e nem perante evidências como esta que o Correio da Manhã explicita, há qualquer remédio recomendável. O saque é mesmo à descarada, mas o Sr. Dr. Mário Soares “acha” que …“é preciso preciso ter uma coragem muito grande para aguentar o que ele aguentou” . Claro que não estava a referir-se ao povo português.

o 5 de outubro aconteceu no 25 de abril…ou não

o 25 de abril

A Liberdade guiando ao Povo, de Eugène Delacroix, 1833.

A data do 25 de Abril de 1974, é o dia histórico de Portugal, ou assim parecia ser. Tínhamos a esperança de ter ganho a liberdade das diversas ditaduras que governaram o nosso País, ao longo de mil anos de escravidão de reis, conservadorismo, domínio de Espanha sopre a primeira Monarquia europeia a segui a dos Capeto, que acabaram guilhotinados em 1789, na revolução francesa. O nosso País nunca matara um monarca, mas sim se rebelaram contra eles ao longo de quase quatrocentos anos de domínio dos reis da Espanha que fizeram de Portugal mãos uma colónia Ibérica, recuperando, pensávamos, a liberdade em 1640, Aconteceu no dia 1 de Dezembro de 1640, a revolta que deu origem à Restauração da Independência, lutando contra a tentativa de anulação da independência do Reino de Portugal por parte da Dinastia Filipina de Espanha, e que vem a culminar com a instauração da Dinastia Portuguesa da casa de Bragança.

[Read more…]

Para os meus netos, em tempo de crise

Netos.jpg

Meus meninos,

Quem me dera ser capaz de vós explicar com palavras simples e calmas, esta época pela que estamos a passar. Explicação entregue nas vossas línguas britânica e neerlandesa, ou holandesa, como também a denominam. Mas, como tenho sido privado de escrever em outra língua que não seja a luso portuguesa, vamos a essa. De certeza, os vós pais podem traduzir línguas que os meus pequenos não conhecem… ainda: os Isley, à língua britânica, os van Emden, ao Neerdanlends. Assim May ouvirá mas nada será capaz de entender por ser muita nova, apenas um ano e três meses… Os van Emden, é diferente: esta Tomas com quase onze anos e que é um sábio e pode explicar a Maira Rose, sua irmã dois anos mais nova que ele.

[Read more…]

%d bloggers like this: