Il Cavallieri é um bacano

Silvio Berlusconi é fixe. Um dos grandes líderes da Europa, está bom de ver. É um espalha brasas, claro, mas qual seria o chefe de Governo da Europa, ou do mundo, que pagaria uns dias de férias à malta desejosa de sol e praia depois de ver a casa destruída, se calhar também o negócio, e a vida hipotecada, depois de uma catástrofe natural?

A resposta é óbvia: apenas Berlusconi.

De visita à região de Abruzzo, ontem, sugeriu aos habitantes que ficaram desalojados que aproveitem o feriado da Páscoa para ir à praia, com as despesas cobertas pelo Governo de sua senhoria.

É destes homens que o Mundo precisa. Hoje senti-me mais confiante.

A propósito, o sismo já fez mais de 250 mortos e deixou milhares de desalojados. O que lhes vale é que podem passar uns dias na praia.

Comments

  1. Snail says:

    Claro que para quem não gosta de decidir, a medida é má.Eu, pela minha parte, acho que se deveria ter feito o seguinte, como aliás os portugueses gostam:1ª medida – nomear uma comissão para fazer um relatório sobre os estragos causados pelo sismo;2ª medida – nomear uma comissão para propor transferências de verbas para a reconstrução dos edífícios e vias de comunicação;3ª medida – nomear uma comissão para propor uma comissão de arquitectos e engenheiros para a elaboração dos projectos para a reconstrução dos equipamentosa sociais destruídos;4ª medida – nomear uma comissão para calendarizar a apresentação pública destas propostas, eventualmente uma por dia, à hora dos telejornais.Dois PS (significa post scriptum e não outra coisa) no memo do ministro português encarregue do assunto:Não esquecer de mandar umas tendas do exército e uns contentores velhos para os gajos dormirem durante os anos que esta merda das obras vai demorar;Ver se há possibilidade de programar uma inauguração qualquer, dois ou três meses antes das eleições…Por estas razões acho que Berlusconi fez muito mal em tomar já medidas, as quais só revelam falta de senso, não acham???


  2. Actualizo o texto: Agora, o chefe do Governo de Itália disse para os desalojados encararem a situação como “um fim-de-semana no parque de campismo”. Também não está mal.http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1373274&idCanal=11

  3. Luis Moreira says:

    Snail, está bem visto!Cá no burgo era mesmo capaz de ser assim.Mas mandar os desalojados para a praia…


  4. É, Snail. Concordo que, por cá, seriam criadas inúmeras comissões e grupos de trabalho. Eventualmente alguém se lembraria de apresentar uma providência cautelar para impedir qualquer coisa. Uma providência cautelar fica sempre bem.

  5. M. Abrantes says:

    Pareceu-me que Berlusconi teve azar com as palavras, porque pretendeu apenas realçar o carácter temporário da situação. Estou mais na linha do Snail.

  6. Snail says:

    M. Abrantes percebeu exactamente o que eu quiz dizer: julgo que Berlusconi tentou que os desalojados encarassem esta difícil situação como temporária e que, no sentido de os animar (calculo que muitos deles estejam em situção psicológica deplorável) os tenha querido retirar, por alguns dias, daqueles locais, até o seu equilíbrio emocional estabilizar.As palavras podem não ter sido muito apropriadas e não sei mesmo se estes objectivos serão atingidos; louvo porém as intenções e a capacidade de decisão demonstrada.

  7. Helena Velho says:

    Snail dou-lhe os meus sinceros parabéns! Lembre-me de o/a contactar quando houver outra situação de emergência, como a queda de outra ponte, ou um sismo desta magnitude , cá no burgo.É das 1ªs medidas que os psicólogos e equipas de emergência médica tomam. Aliás anima e consola imenso esse tipo de intervenção “burlesconiana”(misto de burlesco e berlusconi). Nem a rede de apoio psicológico da cruz vermelha faria melhor.


  8. Diga-se o que se disser, não parece boa ideia tentar desta forma moralizar uma cidade inteira afectada por uma catástrofe. Ainda por cima não podem culpar ninguém (procurar culpados é natural nos seres humanos) a não ser a natureza. Para quem perdeu muito, incluindo familiares e amigos, recomendar uma férias na praia – mesmo a expensas do Estado -, ou dizer que é uma espécie de acampamento de fim-de-semana não me parece muito sensato. Para dizer que é uma solução transitória haveria outras formas, porventura mais simples e menos ridículas.

  9. Helena Velho says:

    Claro que sim, José Freitas! eu estava a ser irónica!

  10. maria monteiro says:

    Imaginava mais Berlusconi mandar todos para retiros de oração.então e o que é fizeram ao cientista italiano? Será que esse foi brindado com algum processo e excomunhão?

  11. Luis Moreira says:

    O cientista deve estar mais que excomungado! É lá de aceitar que o atrevido preveja e acerte. Isso não é mesmo com o Papa?

  12. maria monteiro says:

    O Papa acertar? Não. É mais de acertar mas sempre ao lado.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.