Como baixar o desemprego sem querer

A ministra da educação e o primeiro ministro arranjaram uma forma espectacular de baixar o número de desempregados no país. Vão estender o ensino obrigatório até ao 12.º ano. Acho bem. Eu sempre adorei a escola. Eu e todos os meus amigos. Mas era a parte do recreio, onde se aprende bastante e as casas de jogos e bilhar que fervilham sempre em volta das escolas. Mas este facto deve ser coincidência. Ou seja, este novo pessoal que anda a passear os piercings no umbigo e o novo i-phone nas escolas, vai passear mais tempo até ao 12.º ano. E os que vierem a seguir, é que vão ficar com uma cabeça ainda maior, porque esses vão ter ensino obrigatório até pelos menos ao bacharelato. Com sorte, daqui a uns anos, vai ser obrigatório permanecer na escola até à apresentação final da tese de doutoramento. Assim, eleva-se o nível académico dos portugueses (parece que é difícil reprovar hoje em dia, não é?) e só começa a haver desempregados a partir, para aí dos 35/40 anos. Resolvem-se dois problemas de uma vez só. E ainda há quem critique as políticas do governo.
Se calhar sou eu que vejo mal as coisas. É que eu sou um dos pessimistas, e sou um alvo a abater pelos optimistas de Estado. Vejo sempre, mas sempre, o lado negativo das questões. Mas se calhar foi a presença, na conferência, do ministro do Trabalho, que me fez pensar que isto era uma manobra disfarçada de controlar os futuros números altos do desemprego. Mas se calhar foi só coincidência.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É coincidência,Isac, não há a mais pequena dúvida. E tambem é coincidência os ricos estarem mais ricos.E tambem é coincidência estes gajos intitularem-se socialistas.


  2. Vá lá, não sejam tão pessimistas. Esta acção ainda vai demorar, pelo menos, por três anos. É o que diz o nosso primeiro.

  3. Snail says:

    E vocês ainda acreditam em coincidências?

Deixar uma resposta