E a confusão interessa a quem?

“O diploma está publicado e o Governo já pode nomear o primeiro mediador do crédito, figura distinta dos mediadores de crédito que actuam no mercado financeiro e cuja actividade vai estar sob a alçada do novo mediador do crédito, que funciona junto do Banco do Portugal (BdP). É confuso. A diferença está no mediador “de” crédito, que é relativo aos intermediários que actuam sem enquadramento legal específico, e no mediador “do” crédito, figura criada para defender os direitos dos consumidores em relação às instituições financeiras.”

Isto é confuso. É desnecessário. Para quê alterar a designação da personagem se o objectivo e a missão são as mesmas? Se assim é, esta trapalhada serve para quê? E para quem?

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É um mediador para mediar os mediadores.Caro José, isto arranjar tachos para o povo socialista é uma canseira, e se vamos entrar em pormenores então, é que não vamos a lado nenhum!

Deixar uma resposta