FUTAventar – a selecção e o milagre táctico

Estamos no ambiente que é o nosso, trinta por cento das hipóteses estão nas nossas mãos , trinta por cento nas mãos dos Dinamarqueses e os quarenta restantes nas mãos de Nossa Senhora. É assim que funcionamos melhor, hino cantado com o coração na garganta, olhos “marejados” de lágrimas. Por São Jorge, portugal!

Entretanto, o prof. Queiroz sai com o “milagre” do bolso, a táctica, em losango, nós que temos os três melhores extremos do mundo ( Ronaldo, Nani, Simão e ainda, perto, Quaresma) vamos jogar sem extremos. Os Dinamarquese à espera do nosso ataque pelos flancos e nós sem extremos, futebol directo para a dupla de atacantes, Ronaldo e Simão ou Liedson, já estou a ver os Dinamarquese a levarem um banho de bola mas a ganharem o jogo, tal como aconteceu em Alvalade.

Macaco, o prof. a armar que vai jogar ao ataque enche o meio campo com o Pepe, o Raúl, o Tiago e o Deco, artistas no circular da bola, quem vir até vai dizer, 60% de posse de bola para nós, porra grande azar. Vamos jogar com nove jogadores e meio a defender ( eles dizem a controlar) e dois e meio a atacar, pelo menos um avançado de área a chatear os defesas centrais, são logo dois que já não saem dali, como sempre perceberam os ingleses, mas nós não, nós jogamos a “cair ” nas laterias as tais em que temos os melhores do mundo mas que não jogam.

Os nossos laterais, centram para a área para onde não está ninguem, ou no máximo aparece lá o Ronaldo a quem os Dinamarqueses já avisaram que lhe partem uma perna, então não há meias, em vez de darem espaço ao rapaz, metem-no na toca da fera, grande táctica.

É aqui que entra Nossa Senhora, um golo, os Dinamarqueses querem humilhar como os portugueses fizeram no primeiro jogo, a ganhar , estúpidos, continuam a correr .

E deixem, meio milagre para a próxima quarta feira, com sorte vai ser preciso!

Volto no fim do jogo com mais uma crónica FUTAventar!