Ainda a Social – Democracia

Continuação daqui

Continuando a conversa com o meu estimado aventador Adão Cruz o sistema político capaz de sobreviver em Liberdade tem que ser :

Um Estado de Direito (primado da lei )

Democrático – (um homem, um voto )

Economia – (social de mercado)

Dando de barato que estamos todos de acordo com as duas primeiras resta o sistema económico. O sistema tem que assentar no livre jogo da oferta e da procura, com a mão da regulação do Estado, impedindo ” a mão ínvisivel” de o transformar numa selva. E tem que ser porquê ? Porque a realidade mostra que, até ver, é o único sistema que consegue ,sustentadamente, criar riqueza suficiente, para:

Fazer crescer o país no seu todo (há cincoenta anos que as economias de mercado sustentam a melhoria de vida das populações, embora de forma muito desigual ); sustentam o sistema público de saúde e o sistema público de segurança Social ; e um Estado que administra a Justiça , a administração da coisa pública, a Segurança e a Defesa.

Nenhum outro sistema económico foi capaz de criar riqueza a longo prazo por forma a sustentar a paz, o bem estar e a propriedade. Todos os outros, desde o “capitalismo escravidão até ao capitalismo de Estado ” ruiram com fragor por não conseguirem dar resposta às necessidades básicas da população.

Mesmo os sistemas não inteiramente capitalistas, como é a China, introduzem cada vez mais os mecanismos de mercado de criação de riqueza mantendo, na posse do Estado, os grandes meios de produção. Diz-se socialista por esta última razão, mas com enormes sacrificios de grande parte da população que não tem oportunidades na área da Educação, da Saúde e de auferir um vencimento condigno ( para não referir a “escravatura infantil”).

A injustiça social, a injusta distribuição de riqueza e a incapacidade de criar iguais oportunidades para todos, resulta do egoísmo dos homens, da ganância individual e não do sistema, que só por si não impede uma mais justa repartição.

Mas isto leva-nos ao conceito do “homem novo” que há dois mil anos Jesus anunciou!

PS: quando Hengel, Rosa de Luxemburgo e Markx (para falar dos que li com atençao) falam dos “exércitos de esfomeados” referem-se aos que assim tinham atravessado toda a idade média até ao século XlX, o da industrialização. Depois ,pela pena de Markx passaram “a reserva de mão de obra miserável” mas o capitalismo e a industrialização têm pouco ou nenhuma culpa nessa condição.

Comments

  1. isac says:

    Toda a razão Carlos. É precisamente por esta razão que não gosto de falar de política. Não são os sistemas políticos em si que são maus ou faltosos. É a mão faltosa e muitas vezes criminosa de quem os conduz. E tem-se notado que essencialmente é o homem que falha, não o sistema.