A uma semana das eleições…

está ainda muito por esclarecer, sendo que há já alguns elementos quase certos:
1 – O PS vai ganhar, mas sem maioria absoluta.
2 – PSD fica em segundo e com o CDS também não chega à maioria parlamentar.
3 – BE será a 3ª força na casa dos dois dígitos. Deve eleger pela primeira vez em Faro, Aveiro e Braga, aumentar em Setúbal, Porto e Lisboa. Coimbra é uma miragem (Escreve-me o João Cardoso para corrigir esta ideia, ver comentário).
4 – CDS e CDU lutam palmo a palmo pelo último lugar.

É também claro que o PS ataca o PSD, seu adversário natural, mas não deixa o BE descansado – todos os dias há um ataque forte ao BE (veja-se a capa de ontem do Expresso ou a presença de Alegre em Coimbra). Claro que o BE também não ataca a esquerda do PS, antes pelo contrário – hoje ouvi Louça dizer que teria todo o gosto em ter Alegre a seu lado numa campanha.
O PCP continua o seu caminho sozinho a falar para a sua gente.
Entre o PSD e o CDS acontece algo de estranho – o PSD deixou a Direita direitinha a inteirinha para o Paulinho das feiras. Não entendo esta postura, que na minha opinião vai custar a vitória ao PSD.

Com estes dados quase certos, a Cavaco só resta convidar o Secretário-geral do partido com mais votos nas eleições para formar governo. Sócrates irá formar governo minoritário – não acredito num acordo pós-eleições. Estas (im)possibilidades:

– PS / PSD
– PS / CDS
– PS / BE
– PS / CDU
– PS / CDU / BE

Tudo se encaminha para uma maioria de esquerda no Parlamento. PS, BE e CDU juntos terão a maioria absoluta. Obviamente esta não é a esquerda possível que Alegre deseja, é, antes, a esquerda impossível. Não me parece possível que a CDU possa dar a mão a Sócrates num acordo parlamentar – aprovação do orçamento e do programa de governo, ainda que com uma abstenção, por exemplo.
Já acredito mais num acordo com o BE, sendo que Louça tem sido muito claro: NÃO!
O Portas até gostaria mas não terá capacidade para levar o PS até à maioria
Perante o não da esquerda resta ao PS encostar o PSD à parece apelando à responsabilidade governativa… e ir avançando em minoria. O PSD irá “aprovar” documentos essenciais com a sua abstenção.
Vamos então para a última semana.

Comments


  1. “BE será a 3ª força na casa dos dois dígitos. Deve eleger pela primeira vez em Faro, Aveiro e Braga, aumentar em Setúbal, Porto e Lisboa. Coimbra é uma miragem.”Nas últimas eleições legislativas em Coimbra o BE não elegeu um deputado por pouco mais de mil votos. Não chamava a isso uma miragem… Aliás transpondo os resultados das europeias para as legislativas (eu sei das diferenças, mas como sondagem não conheço melhor) a CDU também elegeria um candidatoPodes ver a projecção aqui: http://icon.cat/util/elecciones/CBuUAeFDWrA situação em Santarém não é muito diferente.


  2. Bom,correcção feita. Obrigado,JP


  3. Juro que gostava de perceber porque é que o meu nome liga com o meu blogue, quando devia ligar com este. Coisas. Falha minha, esqueci-me de apontar que já tinha escrito sobre as contas de Coimbra aqui:http://aventar.eu/2009/09/08/muito-perto-de/

  4. Luis Moreira says:

    Negociar no parlamento é que é a essência da democracia, não a prepotente maioria absoluta da nossa desgraça.


  5. zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Deixar uma resposta