Cavaco Silva renuncia ao cargo depois das eleições

Quem o aventa é Francisco Louçã a propósito do caso das escutas e do mais recente desenvolvimento, o afastamento de Fernando Lima.
Não me parece. Cavaco vai sair mais ou menos limpo desta história. A culpa foi do assessor e pronto, está encontrado o culpado. Os crentes acreditam, os não-crentes não interessam. E se formos a ver, também não é caso para a demissão de um Presidente da República. Se um primeiro-ministro não se demite depois dos projectos da Guarda, da licenciatura manhosa, da Sovenco, da casa comprada a metade do preço, do Freeport, da Cova da Beira, das declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional, dos documentos do Notários desaparecidos ou das casas compradas através de «off-shores», por que raio havia um Presidente da República de se demitir? Por causa de umas escutazitas que nunca existiram?

Comments

  1. Adão Cruz says:

    De acordo!

  2. maria monteiro says:

    isto de cair em certas tentações é … pecado

  3. Luis Moreira says:

    O problema é que já é natural ser-se manhoso…