As sondagens e as letras pequeninas…

Basta mudar o critério quanto aos indecisos para que se passe de 26% para 40%. Se a distribuição de indecisos for feita na proporção o PS cresce sempre mais do que os outros partidos, por ter “um núcleo” inicial maior .Isto explica que o BE agora tenha 9% e amanhã tenha 14%.

Mas a verdade é que sempre que há uma grande percentagem de indecisos a sondagem passa a ser muito problemática, seria necessário saber de onde vieram estes indecisos e, pelos vistos, vieram do PS e do PSD. O que nos tentam vender é que passando a indecisos, no momento de votar, vão voltar aos braços que deixaram.

Melhor seria que se partisse do bloco estável de cada partido e se tentasse perceber para onde e como se irão distibruir os indecisos o que, naturalmente, não é feito. Se é indeciso não se pode saber antes de votar, em quem vai votar.

Outra letra pequenina com que nos brindam é a margem de dúvida da sondagem, se for igual ou superior à diferença entre os partidos isso quer dizer que não há diferença nenhuma.

O que parece é que a maioria absoluta está afastada e essa é a grande vitória.

Comments


  1. Post medíocre deja vu e com temática pouco relevante. não demonstra grande inteligência de abordagem. Monótono e rebatido.Votação deste post:(8). Pode ir à oral mas não vale a pena. Repita de outra maneira o tema, ou esqueça, melhor um café na Mexicana a ver e a sonhar com o inacessível mundo e buraco de meninas ao longe que cruzam as pernas…e vir para casa a correr…!!!!