O buraco em que Cavaco se meteu

O Presidente da República meteu-se num «buraco» com a questão das escutas. Se não tivesse feito declarações e tivesse deixado andar, a esta hora as pessoas já se tinham esquecido. Mas o afastamento do assessor Fernando Lima reavivou tudo e deixou-o sem saber muito bem o que fazer a seguir. Fez ontem a triste figura que se viu. E como disse hoje mesmo Ana Gomes, foi complertamente patético.

Ninguém, nem o próprio Cavaco, acredita naquilo que esteve para ali a dizer. O homem moeu, remoeu e chegou àquele brilhante discurso: será um que alguém pode entrar no e-mail do Presidente da República?

Agora, espera-se que não haja mais tentações por parte do Presidente para voltar ao assunto. O melhor é mesmo deixar que o tempo passe e que as pessoas esqueçam. Ficará, no futuro, como uma pitoresca cena para explorar de todas as formas e feitios na próxima campanha eleitoral.