A boa luta

A corrupção é sempre condenável, tanto ontem como hoje. Se há 50 anos existia, lamento que não tenha sido sancionada. Se hoje existe, lamento igualmente que não seja sancionada.

Mas sinceramente: com os problemas do Portugal de 1960 posso eu bem. Com os de hoje é que todos temos uma responsabilidade a assumir. E, quanto a mim, basta de aplaudir a corrupção. Conheço muitos portistas que, fosse Pinto da Costa presidente de câmara ou Ministro, teriam pedido a "cabeça" dele há muitos anos, por entenderem que não seria suficientemente sério para o desempenho de funções públicas. Como é no futebol, contemporizam. Obcecam com as vitórias e perdem clareza de visão. É óbvio que se fosse o SLB a ter a posição dominante do FCP, ainda que nos bastidores, os benfiquistas, que não são genética e culturalmente diferentes dos portistas, teriam, na sua generalidade, a mesma reacção da generalidade dos portistas.

Quanto a mim, se LFV fosse alguma vez condenado por corrupção seria eu o 1º a pedir a cabeça. Gosto que o SLB ganhe, mas de cabeça erguida. Vitórias nos bastidores não prestam nem sabem bem. O futebol não é um espectaculo como o Wrestling, em que o resultado é combinado à priori. É uma competição.

 

 

É uma vergonha Portugal aparecer aos olhos dos europeus ao lado da Itália, no que toca a escândalos de corrupção. Pior ainda é o facto de só em Itália terem ocorrido mudanças por causa disto. Em Portugal, parece que só o Boavista é que foi condenado. O resto continua intacto, e os adeptos inertes. O que interessa é ganhar…

É esta mentalidade que importa combater. Impõe-se que a sociedade portuguesa se mobilize numa luta sem tréguas contra a corrupção, onde quer que ela se encontre.

Não tenho meio termo para estas minhas convicções. Sou muito claro: quem não condena a corrupção onde quer que ela se encontre e contra ela se indigne, está, para mim, do outro lado da barricada.

É para mim inaceitável que continuemos com uma atitude tão passiva perante um dos grandes flagelos do Portugal moderno. O branqueamento da corrupção no futebol é apenas um sintoma de algo mais grave: em Portugal, ninguém leva a corrupção "latu sensu" muito a sério. Parece algo normal. Já perdi a conta à quantidade de concursos públicos que impugnei por entes públicos restringirem, sem motivo justificado, a concorrência. Há corruptos/criminosos que chegam, até, a ser idolatrados, em fenómenos sociológicos que não ficam a dever nada ao fenómeno que elevou a popularidade de Pablo Escobar na Colômbia aos pincaros.

Por isso, apelo a todas as pessoas de boa formação que tenham a capacidade de separar o trigo do joio, e fazerem o exercicio de se situarem acima da poluição veiculada por quem quer fazer da corrupção no futebol uma mera guerra entre clubes. Essa poluição é igual à dos autarcas indiciados por corrupção, que alegam ser tudo jogadas da oposição ou de membros do partido desavindos. Basta ler as transcrições das escutas para perceber a gravidade da situação. E as escutas são como o algodão: não engana, e não há branqueamento que as faça sair limpas.

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.