O humor muito nosso

Perante as situações dificeis, a tendência muito portuguesa é arranjar umas anedotas que sempre aliviam a pressão, dando azo a umas conversas laterais, e daí a falar de futebol e gajas é um saltinho.

 

– a dívida não é externa, é eterna!

 

– as inundações ocorrem porque o país se afunda!

 

– é proíbido roubar porque o governo não admite concorrência

 

– este governo é como o bikini, ninguem sabe como se segura mas todos querem que caia

 

– as p… ao governo porque com os seus filhos não vamos lá

 

– nem atrás nem por baixo, o governo c… em cima

 

Até as anedotas, velhas de séculos, são adaptadas:

 

"Esta senhora entrou no quarto com este senhor e depois despiram-se, meteram-se na cama…

E depois ? pergunta o marido

Depois nada, apagaram a luz

Vamos ficar para sempre com essa dúvida, finaliza o marido"

 

Isto quanto às escutas de Sócrates, todos sabem que há marosca, mas ninguem ouviu.

 

Enfim, do mal o menos, ninguem entra em depressão, ninguem acredita em ninguem, mas a gente diverte-se à brava!

 

Comments

  1. C.COUTO says:

    Em vez de ser o Primeiro Ministro a estar preocupado com os sucateiros do país, é o país que anda preocupado com o sucateiro do P.M.