Adeus Dennis Hopper

A primeira vez que o vi foi em Blue Velvet. Foi também ai que descobri David Lynch, mas isso é conversa para outro dia. Hoje, o que me interessa é Dennis Hopper. Melhor, o olhar de Dennis Hopper. O seu Frank Booth assustava. Não pelo que fazia, sobretudo pelo que insinuava. O olhar dizia tudo. Só um grande actor consegue falar através do olhar.

Talvez fosse por isso que uma parte significativa da sua carreira tenha sido investida a fazer de vilão. E bem.

13700 Marina Point Drive

O mundo do cinema fica a dever-lhe o clássico “Easy Rider” (1969). Foi actor e realizador. Com Peter Fonda deixou um filme e um manifesto em defesa de um estilo de vida de uma década que ajudou a mudar o mundo. Só por isso merece o reconhecimento de uma estrela no Passeio da Fama, que colocou há muito pouco tempo, já doente e a não conseguir combater o cancro na próstata que o matou hoje, aos 74 anos.

Comments

  1. Luís Moreira says:

    Grande actor, os ícones de uma vida vão morrendo! Não sobra tempo para merdas.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.