É Ouvi-lo Falar

“Presidente da Câmara privou com o Papa Bento XVI”

A nossa centenária república laica possibilitou ao ilustre Joaquim Mota e Silva, notado edil de Celorico de Basto, um momento de católico convívio com o Papa Ratzi Bento XVI. Ele, Mota e Silva, falou e “Sua Santidade ouviu com toda a atenção”. E fiquei, eu, muito impressionado com tão lata colecção de frases feitas. Devo estar a ficar velho, sem paciência para estes apajares. Afinal, o Papa “teve bem ou teve menos bem”?

E quero daqui enviar o meu apreço jornalístico à última edição do jornal Notícias de Basto por, em apenas 24 12 páginas, ter conseguido encaixar 15 fotografias do autarca local, duas das quais na capa. Notável.

lembranças de antropólogo em trabalho de campo

O Angelus,pintura ao óleo de Jean François Millet,1859,museu Orsay, Paris

Em lembrança da minha mama Esperanza…

É-me impossível não lembrar a família Medela Dobarro do Lugar de Lodeirón, Paroquia de Vilatuxe, Província de Pontevedra Alta, sem lembrar a sua gentileza, a sua doçura, o seu acolhimento, o seu bom trato. O pai da casa é Hermínio Medela Taín, hoje com 82 anos, viúvo recentemente da sua querida mulher Esperanza Dobarro. Ele pertencia a família dos ricos y proprietários, do Lugar de Gondoriz Pequeno. O conheci em 1974, éramos novos. Tinha 47 anos certos, como digo num livro em que falo da sua vida, eu, 33. Era o ano de 1974. Tinha sido enviado pelo meu director de estudos e trabalhos, Sir Jack Goody, Catedrático de Antropologia da Universidade de Cambridge, o meu sítio de trabalho, para entender o pensamento das crianças dessa parte do Estado Espanhol, denominado Galiza. Para o meu espanto, havia duas: a de Polónia, da qual eu nada sabia, e a do Estado mencionado. Sem pensar mais, escolhi a Galiza Lusa, ao Noroeste da Península Ibérica. O problema era encontrar casa onde habitar, Vilatuxe, com a colaboração do Pároco, Luís Vázquez Lamela, ofereceu-me uma casa fria, cozinha de lenha, imensos quartos, no Lugar da Carreteira que unia Vilatuxe com Compostela, cidade, y Lalín, Concelho. Assunto tratado. A seguir, seduzir aos vizinhos para saber deles e escrever um livro. [Read more…]

Portugal é mais importante que Cavaco!

O actual governo está ligado à máquina, não tem capacidade nem força nem determinação para seguir um caminho que as circunstâncias aconselham e exigem. Pelo contrário, o que nós vemos é Sócrates uma e outra vez reafirmar os erros em que incorreu todos estes anos. Se lhe derem tempo, este governo, em desespero de causa, vai causar ainda mais problemas ao país, deixar uma herança de empobrecimento e de desemprego.

As circunstâncias mudaram completamnete nas últimas semanas. Já ninguem acredita no que Sócrates diz, o PEC está aí, os mais pobres vão tambem pagar a crise e os contribuintes já reagem como mostra a sondagem que dá 43,6% de votos ao PSD e cerca de 26% ao PS! Estão, pois, criadas as condições para que se avance a curto prazo para uma solução política, com novas soluções, revigorada, capaz de  responder isenta de compromissos que amarram Sócrates aos megalómanos projectos, à dívida monstruosa e ao desemprego que não pára de crescer.

Mas para tal, é necessário que Cavaco Silva coloque os interesses do país à frente dos seus próprios interesses, o país não pode estar à espera do momento certo para que estejam reunidas as condições ideais para sua reeleição . O Presidente da República não pode deixar que o pântano engula a esperança que resta, o tempo é crucial, quanto mais tempo passar sem que as medidas necessárias sejam implementadas, maior será a dor.

As adjudicações à pressa de investimento polémicos e inviáveis financeiramente, mostram bem que Sócrates já entrou na fase do “quem vem a seguir que feche a porta!”

Dennis Hopper (1936-2010)

Um dos actores que me fazia ir ao cinema. O Amigo Americano, Apocalipse Now e Easy Rider são 3 dos filmes da minha vida, e não existiriam sem ele.

Podem ver o resto a partir desta ligação.

Adeus Dennis Hopper

A primeira vez que o vi foi em Blue Velvet. Foi também ai que descobri David Lynch, mas isso é conversa para outro dia. Hoje, o que me interessa é Dennis Hopper. Melhor, o olhar de Dennis Hopper. O seu Frank Booth assustava. Não pelo que fazia, sobretudo pelo que insinuava. O olhar dizia tudo. Só um grande actor consegue falar através do olhar.

Talvez fosse por isso que uma parte significativa da sua carreira tenha sido investida a fazer de vilão. E bem.

13700 Marina Point Drive

O mundo do cinema fica a dever-lhe o clássico “Easy Rider” (1969). Foi actor e realizador. Com Peter Fonda deixou um filme e um manifesto em defesa de um estilo de vida de uma década que ajudou a mudar o mundo. Só por isso merece o reconhecimento de uma estrela no Passeio da Fama, que colocou há muito pouco tempo, já doente e a não conseguir combater o cancro na próstata que o matou hoje, aos 74 anos.

A mentirinha deprimente do costume

Chico Burque desmentiu: foi Sócrates que manifestou vontade em o conhecer, razão porque o recebeu em sua casa.

Não é bem a mesma coisa que a peta posta a circular por aqui: teria sido o cantor a pedir esse encontro.

Nada de novo na rotina habitual: mentiras e aproveitamentos. Já estamos tão habituados que nem estranhamos. Só que Chico Buarque da Holanda não se chama Luís Figo.

Cavaco e a Direita

Alguma direita anda desorientada. Só pode. Com tantos e tão bons motivos para criticar Cavaco foram lembrar-se DESTE.

Estes não foram à manifestação

  • Jorge Coelho, Presidente-executivo da Mota-Engil
  • Rodrigo Costa, Presidente-executivo da Zon Multimedia
  • Ferreira de Oliveira, Presidente-executivo da Galp Energia
  • Paulo Azevedo, Presidente-executivo da Sonae SGPS
  • José Penedos, Antigo presidente-executivo da REN

Não têm tempo para essas coisas. Precisam de fazer contas à vida, procurando onde gastar o seu magro salário.

Jantares

Eu que, de vez em quando, leio o que se vai escrevendo nos blogs, principalmente naquele que teve a má fortuna de me conceder a honra e o privilégio de ser residente, reparei que se fizeram promessas de resumos sobre repastos. Ora acontece que além de nenhum dos ilustres comensais presentes ter (ainda) escrito sobre o que se passou, também a minha índole amnésica não me permitirá um esclarecimento fotográfico do que se passou (destituído, como estava, do apoio de um gravadorzito porque infelizmente fiz o exame de “Teoria Geral da Posse”,  leccionada pelo cândido e virginal Rodrigues, por fax).

Assim, digo-vos que de muito se falou, em registo “cavaqueira ” em que deu para perceber que os Blogers têm,  na sua maioria, umbigos proeminentes. Para que melhor percebam, imaginem uma conferência de imprensa em que os tradicionais jornalistas eram substituídos por Bloggers. Na sua vez, o Blogger efectuava uma pergunta curta (nunca acima das duas horas e meia) e depois levantava-se e ia embora porque mais importante que a resposta, tinha sido a incisiva e genial análise que na questão se apreendia (os que podiam porque aquilo não estava ao alcance de todos).

No entanto, sempre direi que transversal e residual em toda a conversa foi a miserável situação económica em que este País se encontra. Uma condição que temporariamente (espera-se) quase tudo impede. Uma condição que nos faz ponderar a essencial distinção entre o que queremos e o que podemos.

Mas, e na ressaca de um bom jantar, fica uma indisfarçável sensação de esperança. Uma sensação que nasce do que se pôde intuir de cada resposta e de cada opinião dada por alguém que realmente tem uma ideia do e para o País. Uma ideia que não assenta na vulgar ambição de poder, mas numa convicção pessoal que Portugal e principalmente os Portugueses são capazes de travar e inverter a tradicional (pelo menos 100 anos) propensão para o mau governo. E assim se começa a perceber um Líder.

Por fim, uma coisa absolutamente necessária. Nada será como antes!

Braga Romana

"Mesquitus Machadus"

“A cidade de Bracara Augusta engalanou-se para receber a ilustre visita de César Augusto, que estará na capital da província da Gallaecia até domingo, para quatro dias de muita animação e negócio.”

era uma vez um rapaz…

Papageno e Pagena, personagens de Mozart que alegraram a minha infância

Era uma vez um rapaz que não conseguia dormir. Ainda bebé e depois da mamada, dormir não conseguia. A fada madrinha do rapaz, de nome Carolina [1], porque todos os pequenos têm fada madrinha para viverem calmos e sem medo, sussurrou no ouvido da mãe do rapaz: “toca Mozart [2] na viola ou no piano e vais ver o que acontece”. O encantamento da fada madrinha foi forte: mal o rapaz ouvia essa música, adormecia. Foi… o toque mágico. A seguir à mamada, tocar Mozart era parte do alimento: comida para o corpo e música para a alma. A canção tocada, sempre a mesma, repetitiva, essa música das Campainhas Mágicas para xilofone, que adormecia o bebé, ou a canção da Mãe Lua ou Rainha da Noite, convertida para piano. O rapaz cresceu, a música não era suficiente, queria saber porque Papageno, se era caçador de pássaros, tocava uma música, e a Fada Madrinha respondia: “para os atrair e caçá-los, menino! E a primeira caçada foi uma senhora pássaro, disfarçada de velha, mas que passara a ser uma linda catatua que encantou o caçador, e tiveram muitos filhos, todos eles passarinhos…e o conto para embalar ia ficando por esses trilhos, porque o rapaz adormecia. As crianças ficavam admiradas e gostavam de ouvir essa música para adormecer. Os contos de embalar têm essa magia, são… peganhentos… imitados. O melhor remédio dos pais é saber qual a varinha mágica que coloca os pequenos a dormir a noite toda. O rapaz do meu conto, até ao dia de hoje, precisa da sua música para adormecer, tal como estes mais novos, os seus descendentes que ouviam a história narrada todas as noites, queriam ouvi-la mais uma vez. Particularmente pela habilidade do pai em a mudar sempre, para as entreter melhor. Rapaz que, ainda em pequeno, aprendeu a ler sem dar por isso, no colo do pai, enquanto este lia um livro, ele espreitava as letras, letras que aprendeu com a mãe e professora em casa, porque, minhas crianças, o rapaz tinha uma manha: adorava ficar com a família, ler e ouvir a sua música. Escola? Nem por isso, havia muita miudagem em casa, mais não Os doutores das letras permitiam, apenas, estudar em casa até os 11 anos. Depois disso, o rapaz da história ao dar-se com outros, adorou. Não sabia o bom que era estar com amigos. Esse rapaz cresceu, as asas do saber apareceram nos seus ombros, ganhou prémios, o que as crianças do rapaz adoravam ouvir, era tão fácil e não esse pandemónio que os descendentes do rapaz tinham que atravessar todos os dias. Essas crianças adoravam a fada madrinha do rapaz e queriam ter uma, e o rapaz pai dessas crianças, de imediato lhes emprestou a fada madrinha

[Read more…]

Carlos Cruz – o senhor televisão

https://i1.wp.com/aeiou.expresso.pt/imv/0/315/694/ccruz2-5ecd.jpg?resize=230%2C153A um mês de conhecer a sentença de um tribunal soberano, Carlos Cruz deu uma entrevista de 40 minutos na televisão, para falar no seu caso. O seu caso é diferente de todos os outros casos que esperam uma sentença de um tribunal soberano, mas que não têm acesso à televisão?

A que se deve esta entrevista?Qual é o objectivo? Influenciar o colectivo de Juízes?

Não sei se Carlos Cruz é ou não inocente, mas sei que perante a Lei é um cidadão com os mesmos deveres e os mesmos direitos de todos os outros cidadãos. Teve o direito de se defender, de constituir advogado, gozou e goza da presunção de inocência. Bem sabemos que nesta sociedade mediática há muito que foi trucidado, é culpado para muita gente sem que se cuide de saber se há ou não provas bastantes para o culparem, mas nem por isso deve ter mais direitos que todos os outros.

Comparou a sua situação com a de Paulo Pedroso que está em liberdade e nem sequer foi sujeito a julgamento, lamentando que em situações iguais, ou mesmo mais crítica, Pedroso tenha tido um tratamento de favor. Ocorre perguntar. Por ser um político? Por ser ex-ministro? Por ser do PS?

A quem se dirigia tal recado?

PSD à beira da maioria absoluta!

http://dn.sapo.pthttp://dn.sapo.pt/stohttps://i1.wp.com/dn.sapo.pt/storage/ng1298912.JPG?resize=420%2C200rage/ng1298912.JPG?type=big&pos=0storage/ng1298912.JPG?type=big&pos=0Na sondagem recentemente efectuada e já depois do apoio ao governo nas medidas do PEC, o PSD de Passos Coelho está à beira da maioria absoluta.

O PSD atinge 43,6% do eleitorado e o PS fica-se pelos 27%!