O albergue Banco de Portugal desmentido pela DECO

O Banco de Portugal nega ter recebido da DECO carta, datada de 25 de Junho de 2010, a contestar a introdução de cláusulas abusivas em contratos de crédito à habitação. A referida associação contesta, segundo os jornais ‘i’ e ´Publico’. Também o ‘Diário Digital’ confirma o desmentido da DECO face à declaração do BdP. A carta terá sido enviada por fax às 17h03, do citado dia 25 de Junho. Segundo notícia desta tarde, publicada nos citados jornais “i” e ‘Público’, o Banco de Portugal afirma a intenção de analisar as cláusulas permissivas do aumento unilateral dos juros.

A DECO denunciava ao Banco de Portugal, com cópia de um exemplar de contrato do BES, a introdução abusiva de cláusulas susceptíveis de, sem aviso ou autorização prévios, permitir aos bancos aumentar os ‘spreads’ dos juros de crédito de habitação. Duas outras instituições, Millennium BCP e Montepio Geral, segundo a DECO, incorreram na mesma prática.

Sem nos vincularmos às ‘guerras do alecrim e da manjerona’, entre Bagão e Constâncio, essas tinham outra motivação, registamos duas falhas graves do Banco de Portugal:

  1. A falta de acção de supervisão, erro grave quanto à obrigação de supervisionar e reprovar os clausulados “leoninos” de contratos de financiamento à compra de habitação; sobretudo a famílias, na grossa maioria, já punidas com a dureza das condições de trabalho, ou mesmo com o desemprego, e sujeitas a implacável regime fiscal;
  2. A demonstração da desorganização dos serviços, no controlo e registo de recebimento do fax, de que a DECO tem prova.

O Banco de Portugal, é consabido, concorre com a CGD na oferta dos melhores empregos e reformas em Portugal. Por isso, se tornou um autêntico albergue, de académicos a políticos. Ocorrem-me os nomes dos hóspedes Jacinto Nunes, Silva Lopes, Tavares Moreira, Miguel Beleza, António de Sousa, Vítor Constâncio, como governadores, António Borges, Luís Campos e Cunha, Cavaco Silva, Manuela Ferreira Leite, Oliveira e Costa, Octávio Teixeira e outros. Até Ernâni Lopes, o tal do corte de 15 a 20 e tal por cento nos salários dos portugueses – a cru! Exclamou – passou pelo BdP, recebendo uma reforma desde os 47 anos de idade.

Em suma, o Banco de Portugal é o equivalente a um albergue de gente ornada de ouro e diamantes. Não se pense, todavia, que as honrarias de excelentes reformas e salários se ficam apenas pelos mediáticos. Apesar da transferência de atribuições importantes para o BCE, os quadros do Banco de Portugal continuam a conter mais de 2.000 funcionários, os quais beneficiam de elevadas remunerações e de regalias inaceitáveis, face à situação do País e às condições a que outros trabalhadores estão submetidos. Há funcionários do Banco que chegam a estar aos 4/5 meses retirados do serviço, assegurando a remuneração por inteiro.

O novo governador, Carlos Costa, à semelhança do principescamente remunerado Constâncio, ao ingressar no cargo, defendeu a necessidade de rever (reduzir, digo eu) os salários dos portugueses. Seria óptimo que ele próprio aplicasse a receita às remunerações e regalias dos funcionários do Banco de Portugal e que imprimisse à instituição o rigor do exercício efectivo das competências que lhe estão cometidas.

É o cidadão comum que paga todo este luxo e a incompetência. E tem o direito à indignação, como diz o outro.

Comments

  1. lidia sousa says:

    Tenho enviado mails sobre estas reformas indecentes, depois da proposta do Ernani Lopes feita na reunião do PSD de baixar os salários dos funcionários publicos. No dia seguinte Daniel Oliveira no Programa Eixo do MAL DENUNCIOU ESTE ESCANDALO e passei a investigar na Internet. Escrevi um mail ao PR, sugerindo que suspende-se a sua reforma do BdP, por um período de 3 anos, como exemplo para os outros beneficiados. Não recebi resposta, nem sei se o mail foi interceptado. Enviei mails a várias personalidades incluindo o Presidente do Conselho Económico Social, antigo Ministro Cavaquista, pois pareceu-me ter perfil para organizar este fundo, constituido pelas reformas dos milhares de beneficiados e que continuam no activo, que serviriam para activar Empresas de cariz social para dar emprego aos milhares de trabalhadores desempregados e sem habilitações, de meia idade. Este Senhor ainda não me respondeu, deve estar de férias, mas vou voltar ao ataque e peço que me ajudem. Vou saber o mail de algum dos aventadores e encaminharei cópias de todos os mails sobre este assunto. Ainda sou do tempo da grande fraude da formação profissional da treta que enriqueceu tanta gente e do desmantelamento da Agricultura e pescas e que agora:1º com a globalização e depois com a crise mundial, desmantelou o resto da Industra ja obsoleta. Desculpem alguns erros mas fui operada ao descolamento da retina e nem deveria estar a escrever no computador. Sou contra tirar ás pessoas regalias mesmo adquiridas com leis injustas, mas o meu objectivo é que essas pessoas que estão no activo as cedam pelo período de 3 anos e depois se melhorar a situação voltará a ser tudo como dantes.

  2. carlos fonseca says:

    Cara Lídia Sousa, aprecio-lhe a coragem. Suspeito, no entanto, que não lhe vão responder. É tudo gente esquiva.
    Tenho conhecimento de pessoas do BdP, bem remuneradas, que nem lá põem os pés, sem perder o direito à remuneração.
    É contra uma série de regalias infames que me rebelo .
    Um abraço

  3. lidia sousa says:

    Caro CARLOS FONSECA, sou uma pessoa muito teimosa- Tive uma experiencia com o anterior Presidente jORGE sampaio de quem fui amiga, descobri que os meus mails foram interceptados e venci. Vitória de Pirro pois nada ganhei com isso nem era essa a intenção era só fazer ouvir a minha voz e consegui. Agora vou lutar e pelo menos chatear os poderosos tipo Ernani Lopes, o próprio PR, Ferreira Leite, Campos e Cunha que não quis ser Ministro pois saiu uma lei que o inibia enquanto Ministro de receber a tal reforma de 5 anos no BdP NO VALOR DE 8.000 EUROS, MUITO SUPERIOR AO ORDENADO DE ministro. sÓ PRECISO DE ALGUMA AJUDA POIS NÃO TENHO ACESSO Á COMUNICAÇÃO SOCIAL QUE É A UNICA COISA QUE LHES METE MEDO. OBRIGADA e cumprimentos- Lidia Sousa

  4. carlos fonseca says:

    Cara Lídia Sousa, eu também sou teimoso e não desconfio da sua capacidade de luta. Do que tenho a certeza é da insensibilidade social dos cavalheiros em causa.
    Cptos

  5. miguel dias says:

    meu cota fonseca, afinal pra que é mesmo o banco de portugal? portugal tem moeda?

  6. carlos fonseca says:

    camba Miguel, o BdP usa o kumbu para distribuir por muitos quifumbes e o kumbu é nosso, meu.

Trackbacks


  1. […] O albergue Banco de Portugal desmentido pela DECO […]


  2. […] de Portugal, é necessário dizê-lo bem alto, tem-se constituído no albergue que já denunciámos aqui; mas atenção, não se confina a ilustres nomes conhecidos na praça pública. Os benefícios de […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.