PCP de olhos em bico


Após as declarações do sr. Bernardino Gomes (AR) acerca da democraticidade norte-coreana, aqui está mais um exemplo da coerência do sempre updated Comité Central do PCP. Desta vez, insurge-se com a atribuição do Nobel ao dissidente Liu Xiaobo, decerto um “perigoso agente do imperialismo”, um “desviacionista burguês”, “provocador do cosmopolitismo”, “espião reaccionário”, e sabe-se lá o que mais. O argumento utilizado como justificação para o descrédito deste Prémio, será a anterior atribuição ao sr. Obama. Esperteza saloia, mas uma tirada com a qual, quase todos facilmente concordarão, sr. Obama incluído.

Diz ainda o PCP, que este galardão é “inseparável das pressões económicas e políticas dos EUA à República Popular da China”. Fazendo de conta ignorar os fortíssimos laços existentes entre a superestrutura político-industrial do PCC e a gente da Wall Street e da city nova-iorquina, o PCP ainda acrescenta que o Nobel devia “deveria contribuir para a afirmação dos valores da paz, da solidariedade e da amizade entre povos”.

Conhecida a “grande amizade” entre a URSS e a China, nos bons tempos em que alinhavam dezenas de milhar de canhões em ambos os lados da fronteira, esta declaração não pode deixar de ser mais uma excentricidade. É que os canhões não se amontoavam para a “luta final contra o imperialismo”. Estavam mutuamente apontados para os “irmãos proletários”.

Andará o PCP à cata de subsídios em Yuan, ou terá entrado numa deriva maoísta?

Comments

  1. Albano Coelho says:

    Nota-se que o meu caro amigo hoje está mesmo virado para o Simplex, os discos do seu outro post e aqui o raciocínio.
    Se eu lhe disser que o sistema de saúde de Cuba é um dos melhores do mundo – este sim um fato incontestável – vai-me chamar Castrista? E, de caminho, dirá também que sou Estalinista- Maoista simplesmente por criticar o seu post?


  2. Não digo nada disso. Mas gostava de lhe perguntar apenas uma coisa: sendo o serviço de saúde cubano “o melhor do mundo” – parece que no III Reich também era excelente -, parece-lhe que é matéria suficiente para justificar tudo e mais alguma coisa?

    Não disse nada de extraordinário. Apenas me pareceu que melhor teria feito o PCP se tivesse ignorado a coisa, não fazendo a triste figura que se viu.

Deixar uma resposta