Portugal no seu melhor…

O Governo cuspiu na cara de todos os habitantes do Grande Porto e Norte nesta questão das portagens nas SCUTs e o que fez a maralha?

Ao mais puro estilo bovino foi a correr comprar o chip.

Porreiro, pá!

E então a Alemanha? Xenófoba, como sempre

Markel: "A Saúde da Raça ariana!"

A  xenofobia alemã entrou, de novo, em ebulição e percorre, firme, o caminho da pesporrência. Um a um, politicos de diferentes quadrantes,  desancam sobre gentes de nacionalidades, pensamentos e credos distintos. Agora, chegou a vez de alvejar a comunidade de imigrantes islâmicos. Merkel considera o fracasso da sociedade multicultural na Alemanha. Para a mentalidade germanófila, confortavelmente instalada na proa da nave europeia a navegar em mares encapelados, qualquer experiência, iniciativa  ou movimento de integração multicultural ou multinaciomal está condenada a fracassar, na Pátria dos Eleitos. Os tempos são de globalização, mas alto lá!

Subjacente a este posicionamento, há uma advertência à totalidade das comunidades imigradas na Alemanha, portugueses incluidos. Todos são indesejados, por boa parte da população alemã. São os sinais da xenofobia colectiva germânica que o demonstram.

De facto, os argumentos xenófobos não são questões menores de um ou outro político, sem expressão na opinião pública. Thilo Sarrazin, um social-Democrata (?) e ex-director do Bundesbank, autor do livro em que teoriza que os muçulmanos “baixam a inteligência colectiva alemã”, tem tido sucesso na expansão dessa obra no país, com mais de 650,000 exemplares vendidos. Como  isto não bastasse, uma concepção de pureza genética e social do sangue ariano, acima de todos os outros povos, igualmente enforma os resultados de inquéritos promovidos pela Fundação Friedrich Erbert , conotada com o Partido Social-Democrata alemão – um terço dos alemães defende a repatriação dos imigrantes e 58,4% afirma-se  favorável a restrições das práticas do Islão.

[Read more…]

Um milímetro com morte anunciada

Álvaro Maia Seco foi candidato do PS a presidente do município de Coimbra nas últimas eleições. Demite-se agora da presidência da Sociedade Metro Mondego, após perceber pelo orçamento-geral do estado que esta vai ser extinta e entregue à REFER (accionista com 2,5%).

O Metro Mondego (MM) é uma obra estruturante para Coimbra, nisso estão de acordo de resto todos os partidos. Sucessivamente adiado, o Milímetro coimbrinhas viu as suas obras arrancarem no início do ano com o levantamento dos carris do antigo Ramal da Lousã, um comboio suburbano por enquanto substituído pela boa e velha camionagem, com todos os atrasos, complicações e custos inerentes.

Além dos carris levantados a Baixa de Coimbra foi esventrada com demolições, preparando a passagem de um metropolitano de superfície que não chegará.

Álvaro Maia Seco acaba de perceber o óbvio: enquanto Sócrates for chefe do governo em Coimbra não haverá uma única obra pública, um investimento fraco que seja (ironia das ironias, a delegação do Ministério da Economia que Manuel Pinho enviou para Aveiro, prejudicando sobretudo Leiria, volta agora onde estava já que vai ser integrada na Comissão de Coordenação do Centro e esta ainda não foi deslocalizada para a serra da Estrela). Para Coimbra não virá nada, nada, nada, mesmo que a desculpa seja a poupança e a realidade deste caso seja um largo aumento da despesa.

Amaldiçoarás o lugar onde foste infeliz, é o mandamento de José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa. Ora nós não temos culpa das suas infelicidades pessoais ocorridas entre 1975 e 1979 enquanto estudante do ISEC.

Imaginem que tinha ido estudar para Lisboa e toda a gente reparava nisso.

homossexual

mãos de corpos do mesmo sexo que se amam e exprimem o seu desejo

Para tod@s os que tiveram a ousadia de não esconder os seu sentimentos.

É preciso distinguir. A primeira distinção, é que uma actividade, substantivo ou adjectivo, deve começar por um verbo, como o verbo ser ou não ser. Esta frase de Shakespeare, é um segundo dilema, que remete para a vida ou a morte, solucionada pelo autor com a morte de todas as personagens.

O terceiro dilema, central, é ser ou não homossexual. É um desejo, um sentimento, uma atracção passageira, espontânea, calculada, de nascimento ou aprendida? Parte deste dilema consiste em não se saber definir nem sentimentos nem acção. Hoje em dia, dizem, estar na moda ser homossexual, ou seja, sentir atracção por pessoas do mesmo sexo. Nunca esqueço a frase do filme Retornar a Brides’Head mencionada pela actriz em Veneza, quando fala sobre a amizade entre dois adolescentes: é melhor que dois jovens se amem em tenra idade, assim sabem depois o que fazer na sua vida adulta. Também não esqueço o texto de Didier Ansieur, de 1958,

[Read more…]

O Baú das Músicas Portuguesas

Se não fosse cá por coisas, oferecia um doce a quem conheça esta pérola.

(para ouvir, de preferência, com auscultadores)

Momentos de prazer ou momentos de distracção?

Conta o Ionline que um jornalista foi acusado lenocínio (em português: de ser chulo)  por gerir o site Momentos de Prazer, que se afirma como um “um portal de classificados com conteúdos eróticos para maiores de 18 anos”, um site com anúncios de putas, portanto.

Portais destes há muitos, e se a justiça decide que cometem uma ilegalidade tem muito com que se entreter.

Pode começar pela “Ratinha Húmida e Peludinha” ou pelo “Brasileiro dotadão“, ambos já por aqui aventados a partir do Jornal de Notícias, e de jornal em jornal acabar com várias páginas de classificados. Ah, espera aí, mas nesse caso não se estavam a meter com um jornalista, mas com os donos dos jornais. Faz toda a diferença, tem outro alcance, atinge uma profundidade – a cegueira da justiça vê tão bem ao longe, não é?

atribuição do prémio Nobel de Literatura. Mi Gabriela Mistral

A nossa poetisa recebe o merecido Prémio das mãos do Rei Sueco, o primeiro ao acabar a guerra mudial

Entrega do Prémio Nobel de Literatura pelo Rei Gustavo Adolfo da Suécia, Novembro de 1945, aos 56 anos de idade

Quando se fala de Prémios Nobel de Literatura, há um que é sempre esquecido e sinto o meu dever resgatar.

A notícia de ter ganho el Nobel, a recebeu em Petrópolis, a cidade brasileira onde desempenhava a labor de cônsul desde 1941, cidade de má fama para ela: tinha-se suicidado aos 18 anhos, Yin Yin, alcunha de Juan Miguel Godoy Mendoza, seu sobrinho consanguíneo, conforme a notícia circulava, filho de um hermanastro, quem fora adoptado por ela e a sua amiga e confidente Palma Guillén, com quem vivia pelos menos desde que o garoto tinha quatro anos. Há quem diga que era filho dela, dai a cautela com que transfiro a notícia, especialmente por ser narrada a nós pelo nosso tio Higinio González Nolle de Montjeville, Ministro Conselheiro da Embaixada do Chile em Rio de Janeiro. Tinham convivido juntos, em tempos de guerra, em Portugal, onde o tio era Ministro da Embaixada e Gabriela, consulesa. Habitavam a mesma casa que hoje

[Read more…]