A diminuição do número de feriados

Pedro Passos Coelho tem toda a razão. O número de feriados em Portugal devia diminuir. Como trabalhador, é óbvio que os feriados até são poucos. Mas analisando de forma equidistante o problema, como politólogo (só falta o convite), a verdade é que existem uns quantos feriados a mais que deviam ser simplesmente eliminados:
– Sexta-Feira Santa (feriado móvel, última sexta-feira antes do Dia de Páscoa)
– Corpo de Deus (feriado móvel, quinta-feira da segunda semana após o Pentecostes (60 dias após a Páscoa)
– Assunção de Maria (15 de Agosto, elevação de Maria em corpo e alma à eternidade para junto de Deus)
– Dia de Todos os Santos (1 de Novembro)
– Imaculada Conceição (8 de Dezembro, Padroeira de Portugal)
É que, queiram ou não queiram, Portugal é um Estado laico que deve respeitar de igual modo todas as religiões e não dar privilégios a qualquer uma delas. Não ignoro que a maior parte da população portuguesa se diz católica, mesmo que não saiba distinguir muito bem entre ser católico e ser cristão, mas exactamente por isso é que abro duas excepções, a Páscoa e o Natal, sendo que este, hoje em dia, é mais uma Festa da Família e do Consumo do que uma festa religiosa.
No meio disto tudo, o que me espanta mais é a forma como uma certa Esquerda se sobressalta sempre que este assunto vem à baila. Então não é verdade que Portugal é um país laico, camaradas?

Extra-Post: Não ignoro que Pedro Passos Coelho não tinha em mente exactamente estes feriados quando falou do assunto publicamente…

Comments

  1. joão says:

    como trabalhador ateu não tenho problema nenhum com os feriados religiosos =)


  2. Concordo. Acrescentaria o Natal. Porque é que se esquecem sempre do Natal?


      • Helder, não estou a ser irónico, nem sarcástico. Há centenas de festas pagãs, não creio que, de repente, as comecemos a celebrar. Eu sou a favor da extinção de TODOS os feriados religiosos e de alguns civis. Por frisei a questão do Natal. Não faz sentido que um dia daqueles, por muito que esconda antigas venerações pagãs, se recorde no calendário de um estado laico.


        • Os feriados não são maus e até são necessários. Claro que concordo com o Ricardo, não faz sentido que, num país com uma minoria de praticantes de uma dada religião, se observem os feriados dessa religião e não de outra.

          Por outro lado os feriados são necessários para libertar as pessoas dos trabalhos estupidificantes que a esmagadora maioria tem. Os feriados religiosos em regra marcam o ciclo solar ou lunar, ou seja a passagem das estações, têm outra vantagem, estão mais ou menos espaçados durante o ano. Em resumo, concordo que se extingam os feriados religiosos, mas têm sempre que ser substituídos por outros.

          No outro dia ouvi uma entrevista qq onde o entrevistado, nos EUA, dizia qualquer coisa como:

          Em relação aos anos 70 somos quarenta por cento mais produtivos, e no entanto não ganhamos mais e há mais desemprego.

          Ou seja os ganhos derivados do aumento da produtividade estão a ir para algum lado que não é quem trabalha. Eu proponho que esses ganhos sejam transformados em feriados!


        • Quem não gosta dos feriados pode simplesmente ficar em casa a descansar ou fazer o que quiser.
          Onde trabalho tenho uma colega que é testemunha de Jeová, e pratica os feriados com igual entusiasmo!
          Não é aceitável que nos sejam retirados feriados sob pretextos idiotas de produtividade.
          Em Portugal trabalham-se mais horas por menos dinheiro, portanto a produtividade é SUPERIOR a outros países da UE. Se nã é produzida mais riqueza por hora de trabalho é por culpa da organização das empresas (ou a falta dela) não é pelos feriados e férias.

          • Melody Vega says:

            Bem idiotas os que pensam que os feriados vão fazer a diferença. Europa do Norte quere que Europa do sul pague toas suas excentricidades. Afinal Alemanha trabalha as mesmas horas o menos e tem mais dias de ferias, então??!!

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Eu explico no post por que razão deixo o Natal de fora, Nuno.


  3. Acabem tb com o Sábado e o Domingo.


  4. Eu não tenho grandes problemas com a ideia de racionalizar os feriados… DEPOIS de resolverem outros problemas, por ordem de grandeza e prioridade. Isto sim, são os verdadeiros pelos púbicos.


  5. Outra vez a cena dos feriados.
    Isto é uma falsa polémica lançada por aqueles que não querem discutir verdadeiros problemas. Depois, as organizações de patrões agarram a boleia e repetem a palermice até à exaustão.
    -De facto não temos muito mais feriados do que a média da UE, sendo que ganhamos (muito) menos por ano, pelo que não devia chocar ninguém que trabalhássemos menos dias…Já que até trabalhámos mais horas…
    -A ideia de “deslocar” dias feriados para a segunda ou sexta é tão absurda e estúpida que não sei como alguém pode sugerir isso a sério!
    -Existem países onde se trabalha um número constante de dias por ano, isto é, se houver muitos feriados deixam de gozar algum, mas se calharem muitos feriados ao fim de semana, também se move para perfazer o número de dias de trabalho/descanso. Esse pormenor é escamoteado sempre…
    -Poucos patrões (nenhum?) se podem queixar honestamente de não terem quem queira trabalhar nos feriados, desde que se lhes pague, obviamente!
    -No caso das “pontes”, os patrões podem também definir que não se trabalha aquele dia e atribuir férias aos funcionários, também é um falso problema.

    Enfim, mais uma diversão para distrair e enganar o eleitor!


  6. Podia estar aqui a dar a minha opinião, mas como é longa e até fiz um estudo quando isso foi apresentado pelas outras duas deputadas, link.


  7. Hmmm… comentário não entrou… tentar de novo:

    Poderia estar aqui a dar a minha opinião, mas como é longa e até fiz um estudo quando foi apresentado pelas outras duas deputadas, link.

  8. Ricardo Santos Pinto says:

    Não me terei explicado bem. Não sou propriamente a favor da diminuição de feriados nem me parece que isso tivesse qualquer efeito na economia. Sou a favor, sim, da eliminação daqueles feriados em concreto – os que apontei no post que, às vezes, penso que ninguém lê. Arranja-se já 4 ou 5 feriados civis para substituir aqueles.


    • Anular feriados para os substituir por outros é ridículo. Em que base se escolheriam os novos? Feriados pagãos? É um sistema religioso. Civis? Que datas? Guerras? Mudança de regimes? Mortes de positivistas ou republicanos? E quem decidiria isso? O Estado? Outra vez o Estado…

  9. Ricardo Santos Pinto says:

    Não é ridículo, há datas que mereciam ser feriado. E quem querias que decidisse? Eu?

  10. Maria Antónia says:

    Acho absolutamente absurdo o facto de quererem retirar os feriados! Se eles foram feitos, para alguma coisa foi! Se Portugal já está numa má situação económica, para quê retirar feriados? As empresas, se não tem trabalho para “dar” aos seus empregados, para quê fazer com que estas tenham de ter mais uns dias? Quer dizer, será mais um dia em que a entidade empregadora terá de pagar ao seu empregado, serão mais impostos que terá de pagar perante mais esse dia de trabalho, etc. Qual é o mal, digam-me, de ter um feriado de vez em quando para descansar e estar com a família?
    Que exista gente que não se importe com o desaparecimento dos feriados religiosos, eu não contesto, mas há que pensar que, não sendo eu religiosa, há quem o seja, e esses feriados têm de ser respeitados! Vão me dizer que, de vez em quando, não vos sabe bem um feriado?! Principalmente aqueles feriados de segunda ou sexta-feira, que prolongam o fim-de-semana e nos dão a oportunidade de fazer uma pequena viagem ou tirar umas mini-férias?
    Quem me souber dar razões lógicas e válidas para a retiração destes feriados que me explique, sff, porque eu não percebo o que é que passou pela cabeça destes políticos!

  11. carlos pinto says:

    Quanto a mim acho pessima ideia acabar com os feriados! nao é por reduzir 4 feriados que isto vai melhorar! o que tem que mudar sao os politicos que nao sabem administrar!
    e deixarem de arraanjaar taxos para os boys e aamiguinhos dos politicos, vejam por exemplo o caso do senhor catroga, o taxo que foi arranjado os milharem de euros que vai ganhar por mês, uma barbaridade num pais em crise e as grandes surudas reformas miliunarias.deveriam todas as pessoas receberem durante um ano o salario minimo para ver como quemrecebe esse valor ou menos consegue viver,iriao dar mais valor ao povo,nao se deixe enganar por esses politicos rascas,força Portugal.

  12. Pulsefighter says:

    Vocês são todos uns palhaços hereges e idiotas, têm o governo que merecem

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.