Fernando Nobre chumbado duas vezes para Presidente da AR

Há sempre uma primeira vez para tudo e Fernando Nobre é o primeiro nome a ser chumbado duas vezes consecutivas para Presidente da Assembleia da República.

Neste momento em que escrevo ainda não se sabe como irá o PSD descalçar esta bota, ou Nobre retira a candidatura e o PSD apresenta outro nome, ou a humilhação pode agravar-se.

Duas teimosias juntas – a da posição e a da oposição – em torno de um assunto que costuma ser relativamente consensual. Ou, como dizia um ex-político de pouco saudosa memória, quem se mete com o PS, leva (onde diz PS leia-se o nome de cada partido). E Nobre “meteu-se”, nas presidenciais. Agora leva. Dois chumbos, para começar.

ADENDA: o PSD acaba de retirar a candidatura de Fernando Nobre. Nova votação será efectuada amanhã desconhecendo-se, ainda, qual o candidato a ser apresentado. Decididamente, e depois de mais esta derrota, Fernando Nobre é politicamente muito inábil. A dita “sociedade civil”, da qual Nobre se afirma originário, merecia melhor.

Comments


  1. Não se compreenderia que o CDS/PP voltasse agora com a palavra atrás. Fernando Nobre deveria retirar a candidatura, resolvendo a solução, evitando criar um problema.

  2. a.marques says:

    Se o partido do Dr. Portas chumbar a eleição do Dr. Nobre merece uma lição exemplar e expedita. O PSD não deve insistir nesse candidato, e declarar intenção de apoiar uma alternativa do PS ou do PCP. A finalidade seria mesmo entalar Passos Coelho? A alegada razão de compromisso anterior, seria um bom motivo para não tirar o tapete ao parceiro de coligação independentemente do mérito da escolha. Fernando (pouco) Nobre. Já toda a gente tinha percebido que era um factor de perturbação. Quis ser problema sério apresentando-se na 1ª votação. Não quis perceber que passou a vírus sem remédio e insistiu. Manda um mínimo de dignidade que saia pelo próprio pé, que Passos já tem problemas que bondem . A cegueira pelo capacho não lhe pode toldar o discernimento. Para concluir, não percebo o drama semeado pelos enviados da comunicação social com adjectivos a roçar a tragédia. Ao contrário, acho que o grande vencedor acabou por ser Passos Coelho que se libertou de uma armadilha. E se bem me lembro nunca vi a AR funcionar com tanta transparência, rigor e respeito pelos cidadãos. A comunicação social para além de não saber informar não sabe promover uma pedagogia democrática. Reciclem.


  3. Ficam evidentes os jogos de poder que correm por debaixo das bancadas e por muito que se brame intenções sérias, fica evidente que a linha que separa uma palmada confortante, do cravar uma adaga nas costas é a mesma linha que faz uma coligação acordar um governo. Ou seja, por detrás das cortinas em silêncio há uma guerra de sombras! Foi uma oportunidade de Portas marcar uma posição de força diante Passos Coelho, o que certamente augura tempos difíceis na coligação. Tempos que a restante oposição irá aproveitar para minar as fragilidades da coligação. O país perde e dispensa situações que minem com problemas menores para além dos existentes.

  4. Ricardo says:

    Oh que catraio… eu neste momento sofro pelo Fernando Nobre. Não é fácil levar com tamanha rejeição. Isto tem a importância que lhe quiserem dar. Assunto encerrado, venha o próximo. Resolvam é os problemas do país. Quero lá saber quem é o PAR… Isto nem é derrota nem vitória nem sinal nem nada. Não é nada, é perda de tempo.

  5. Dario Silva says:

    “Não aceitarei nenhum cargo político (…)”, só P. da AR.

    Nota-se.

    Outro amnésico falava na rádio, vai ser deputado, Portugal precisa deles assim, de puta de memória nenhuma.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.