Ambulância Postal

Eu ainda sou do tempo… em que o correio era distribuido por caminho-de-ferro; não terão ainda passado trinta anos – antes das auto-estradas grátis, do petróleo a jorrar no Beato, das Novas Oportunidades e do Simplex – a grande distribuição postal fazia-se ao ritmo do comboio.

Era um ritmo assim-assim, no máximo, em dois dias, uma carta chegava da serra algarvia a Bragança. Agora são precisos três, a menos que queiras pagar correio azul. Aos comboios portugueses, e da Europa também, acoplava-se uma ou duas ou mais carruagens com gente lá dentro, a trabalhar. Os funcionários dos Correios trabalhavam uns de noite (nos comboios mais extensos ao longo das linhas principais) e os outros pela manhã dentro (nos comboios mais curtos).

Nos anos 80, se não depois, o “correio” vindo de Lisboa passava três “Ambulâncias Postais” (assim se chamava este posto dos correios sobre carris) para as costas de uma locomotiva a diesel, uma 1400, e partia, veloz em direcção à Linha do Douro. Era o comboio mais importante do dia e subordinava a si a marcha de todos os restantes… (continua)

Comments

  1. Huguinho says:

    E não era só por cá… havia sitios onde a coisa estava muito mais oleada…

    http://www.youtube.com/watch?v=-WO7JxYlhOM (parte 1)
    http://www.youtube.com/watch?v=1pQJzZDIQTs (parte 2)

  2. jorge fliscorno says:

    Muito interessante, venha daí o resto.

  3. Pisca says:

    Gostei deste post, fez-me lembrar um bom amigo meu que começou a sua carreira nos CTT pelos comboios correios, e eu nos meus 17 ou 18 anos, achava que deveria ser o melhor dos mundos, ele andava no longo curso e viajava por montes de sitios, ou melhor, apenas passava claro

    Já lá vão alguns anitos é claro

  4. Bruno says:

    Parabéns pelo post. Algo muito bom a relembrar e a saber. Aproveitarei isso para quando em futuras aulas abordar os meios de transportes e vias de comunicação.

Trackbacks


  1. […] noutros tempos, os carteiros viajavam de “ambulância“. partilhar:Facebook Esta entrada foi publicada em antropologia, cultura, fotografia, […]


  2. […] cabeça do comboio – vinha gente nele, e correio e tudo –  , a locomotiva CP 1429 reboca carruagens Schindler provavelmente desde Monção e […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.