Metam a unidade nacional no pacote

Depois de o primeiro-ministro grego ter sido proibido pelo casal Mercozy de referendar seja o que for, o que está a dar na Europa, dizem, é a unidade nacional.

Em nome da unidade nacional o PS não vai votar contra o Orçamento Geral para acabar com o Estado. Abstém-se, e com candura ainda negoceia um IVA ou dois. É um partido responsável, diz o Seguro, e bem vistas as coisas o orçamento é da troika e de quem negociou com a troika, não tivesse caído Sócrates e estaria a apresentar o mesmíssimo orçamento, chamando-lhe talvez PEC 7 ou 8.

A unidade nacional existe.  Armando Vara e Duarte Lima, fizeram carreira á sombra dela, Medina Carreira e João Duque mentem diariamente em nome dela, e os nossos ricos metem a massa nos offshores em solidariedade para com ela.

A unidade nacional ao que parece vai produzir um novo governo grego onde os corruptos dos partidos do alterne estarão representados sob a provável presidência de um banqueiro, quem melhor do que um banqueiro para dar credibilidade a um governo que tem de pagar o armamento tão generosamente vendido por alemães e franceses a troco de empréstimos ruinosos?

Um dia também por cá teremos um governo de unidade nacional. Esquecendo o detalhe de nem todos termos andado no mesmo gamanço, unirá aqueles que à sombra do estado enriqueceram mas se queixam do estado que ainda mantém propósitos tão irrealistas como o de assegurar saúde e educação para todos. Para primeiro-ministro espero que também se encontre um banqueiro à altura da responsabilidade: Oliveira Costa, pois claro, um garante de que se pode meter a unidade nacional no pacote geral de austeridade, que é como quem diz, trabalharás mais, ganharás muito menos, e não digas que vais daqui. Pela parte que me toca podem metê-la já no pacote, sim, nesse mesmo, no outro.

Comments

  1. indignada says:

    infelizmente o povinho é burro e gosta de ser violentado. Trocam o voto por um saco de plástico e o resultado está à vista.
    Quando é que há a verdadeira unidade nacional para se acabar com esta pouca vergonha? Está tudo assim tão estupidificado como tão bem retrata a casa dos segredos? Somos um país de gentinha assim tão reles?
    Eu que não voto neles, que sempre acreditei que o caminho deve ser ser outro, que sempre vivi pela máxima “não faças aos outros o que não gostavas que te fizessem a ti” sinto-me completamente defraudada.
    Porque não se junta a verdadeira unidade nacional para cobrar pessoalmente a esses todos que nos andam a roubar à tanto tempo? Que se endividam e colocam a conta e cima dos que não a podem pagar?
    Estão à espera que se chegue à altura das grandes fomes, pobreza generalizada e crime constante para fazer tábua rasa da anedota que este país se tornou?
    …às armas, às armas…
    Porque se chegamos a esse ponto chega a anarquia!

    • MAGRIÇO says:

      Como eu a compreendo! Até eu, que tenho uma natureza pacífica, começo a pensar que isto agora só se endireita com uma desinfestação que acabe com estes parasitas. Mas, já agora, permita-me uma correcção: penso que usou o termo “anarquia” como sinónimo de caos, de confusão. Nada mais errado! A Anarquia seria o sistema de sociedade ideal, em que todos seriam tão responsáveis, honestos e solidários que não precisaríamos de tutelas políticas nem de qualquer outras de cariz repressivo. Como a Humanidade está muito longe destes requisitos, tal não passa, infelizmente, de uma utopia.

      • indignada says:

        realmente errei ao chamar Anarquia ao que se segue.
        Utópico também e viver num país sem problemas. As Nações são feitas de humanos e os humanos falham.

        Mas sinceramente estamos entre a espada e a parede. Não temos soberania e qualquer mudança no poder seria respondida por um ataque massivo das tropas germânicas. Será que é desta que começa a WWW3?

        • MAGRIÇO says:

          Espero bem que não haja uma 3ª Guerra Mundial! Já basta a “guerra” diária que travamos contra a insídia de políticos sem coluna vertebral e de memória tão curta que logo após as eleições esquecem as promessas eleitorais. De facto, corremos o risco de um ataque massivo, não de tropas germânicas mas de mercenários financeiros.

          • indignada says:

            Ataques dos mercenários financeiros é exactamente pelo que estamos a passar.

            Mas ainda vamos bater no fundo.

  2. Marito says:

    Explica lá onde o Medina mente? E juntar no mesmo “quasi saco” o Medina e o Duque juntos com o Vara e o Lima, sinceramente…não me atires poeira prós olhos.


    • Mente na sua diária propaganda ideológica do “vivemos acima das nossas possibilidades” ao “estado social que acabou”.
      Discurso de treta e mentira, esquecendo que o que tem de acabar é o estado a que os empresários se encostam.

      Igualzinho ao Duque e outros ideólogos da propaganda do regime.

      • indignada says:

        O Estado Social é uma mentira.
        Como é que se pode financiar saúde gratuita para todos e educação gratuita, escolaridade mínima que no fim de contas não vale nada porque cospe burros para um mercado de trabalho mais que saturado em que os velhos não se podem reformar e os novos não conseguem entrar.

      • MAGRIÇO says:

        Diz a sabedoria popular que “mais vale cair em graça do que ser engraçado”. Tenho verificado que não há como a política para confirmar esta asserção: já ouvi e li, por exemplo, que Cavaco Silva é o maior estadista que este país já pariu! Dito por um comediante não deixaria de ter a sua piada, mas dito com convicção não deixa de ser dramático pela ignorância e sectarismo que revela. Outro caso paradigmático é Medina Carreira, que como ministro das finanças do 1º Governo Constitucional passou despercebido e agora, para além de ter soluções para tudo que não teve quando devia, tem também um séquito de seguidores “só porque sim” , uma vez que não sabem do que falam: já ouvi alguém afirmar com toda a convicção que é um “grande economista” quando, tanto quanto sei, frequentou um curso de economia que não acabou, tem um bacharelato em engenharia mecânica e uma licenciatura em direito. Eis como nos tornamos num país de gente “informada” que não hesita em puxar dos galões para botar opinião sobre assuntos que não domina. Pobre País tão fértil em pobres de espírito!

  3. doutro lado says:

    Será Unidade Nacional ou União Nacional o que “Eles” querem?


  4. Infografia: Saiba quais as freguesias que vão deixar de existir
    04 Novembro 2011 | 17:46
    Bruno Simões – brunosimoes@negocios.pt

    Rui Santos – infografia

    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=517189

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.