Cinco argumentos ridículos: do atentado à anedota

Plano Nacional de Barragens: um desastre que nos há-de custar 16 mil milhões de euros.

Finalmente, ao fim de quatro anos de esforços de organizações ambientalistas e populações locais, começou a haver algum debate público sobre o programa nacional de barragens (PNBEPH).Em prol da verdade, vale a pena desmontar alguns argumentos que a propaganda oficial e articulistas mal informados têm vindo a atirar para a arena mediática.

Argumento ridículo 1 – “O investimento é privado.” O investimento inicial nas nove grandes barragens apro­vadas pelo Governo ascende a 3600 M€, o que, somado aos custos financeiros e ao lucro das empresas de elec­tricidade, gerará um encargo global estimado em 16.000 M€ ao longo de 75 anos – que obviamente será pago na totalidade pelos cidadãos-consumidores-contribuintes. Parte deste custo será reflectido na factura da electricida­de, e parte nos impostos, para suportar o défice tarifário e a “garantia de potência” estabelecida na Portaria n.° 765/2010. O que importa é que, entre tarifa e impostos, as novas barragens implicarão um aumento superior a 10% no custo da electricidade.Argumento ridículo 2 – “Independência energética e alterações climáticas.” As nove barragens novas, que iriam espatifar outros tantos rios, produziriam apenas 1,7 TWh/ ano de electricidade, ou seja, 0,5% da energia primária do país ou 3% da procura de electricidade; isto para poupar apenas 0,7% das emissões nacionais de gases de efeito de estufa e 0,8% das importações de combustíveis fósseis. Se, em vez de barragens, investirmos o mesmo dinheiro em medidas de eficiência energética, conseguiremos um efeito cerca de 10 (dez) vezes maior na poupança de emissões e importações, com valor acrescentado para as famílias e as empresas, e efeitos ambientais positivos.

Argumento ridículo 3 – “Armazenar energia.” Argu­menta-se que o esquema da bombagem hidroeléctrica, usando energia barata produzida à noite (eólica e não só) permite armazenar energia; é meia verdade. A ou­tra metade da verdade é que, segundo o PNBEPH, Por­tugal precisaria no futuro de 2000 MW de bombagem hidroeléctrica; ora, entre as centrais já operacionais e em construção, só em barragens preexistentes, já temos disponíveis 2510 MW de potência de bombagem – ou seja, não precisamos de nenhuma barragem nova!

Argumento ridículo 4 – “Energia renovável.” As gran­des barragens estão entre os modos de produção de ener­gia mais agressivos, porque destroem irreversivelmente os solos agrícolas, os ecossistemas, as paisagens natu­rais e humanizadas, o património cultural. O paradigma moderno não é o “renovável”, mas sim o “sustentável” – social, ecológico, económico -, que as novas grandes barragens não respeitam de todo.

Argumento ridículo 5 – “Já pagámos as concessões.” As concessões pagas pelas empresas de electricidade ao Estado serão, em última análise, suportadas pelos consu­midores; ou, se o Estado devolver essas verbas, serão su­portadas pelos contribuintes, o que vai a dar ao mesmo.Para além de uma ou outra gaffe, o silêncio do actu­al Governo neste assunto tem sido ensurdecedor. Não se trata de mera ignorância, porque já foi informado. Será medo de desvalorizar as acções da EDP até à privatização? Ou simples cobardia política para afrontar o lobby do betão e electrão? Ou haverá outras razões ainda menos respeitáveis?Muito se tem falado de outras obras faraónicas, como o aeroporto de Lisboa, as auto-estradas ou os estádios. Está na hora de o programa nacional de barragens ocu­par o lugar que lhe cabe no rol das fraudes cometidas sobre os cidadãos portugueses em nome do “interesse público”, (www.geota.pt)

João Joanaz de Melo in Público, 16 de Novembro de 2011.

Comments


  1. http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=HOMEPAGE_V2

    DESTAQUES
    Passos Coelho pede aos portugueses que não deixem de acreditar

    18:44 Numa mensagem no seu mural do Facebook, o primeiro-ministro apela aos sacrifícios e diz que este é o momento de “reescrever o futuro dos nossos filhos

    eu.. mcarvalho farto de acreditar em fp (não funcionários publicos) e cujo perfil defini quando abri este tópico ( farto de ser enganado, desiludido, explorado, gozado, espezinhado, amesquinhado, etc eyc etc… mas nunca vergado,,, porque eu sigo MIGUEL TORGA.. Parto … mas não vergo.. morro, mas em pé…

    tenho duvidas.. acredito .. não acredito..

    este penny stock de vigaristas e trafulhas(não Portugal, esta é para ti .. Ninja ). terá batido no fundo e vai recuperar tipo BCP??

    ou tudo não passa de especulação.. Passos Coelho, Eduardo dos Santos e mais uns analistas técnicos e fundamentais a tentarem levar ao fundo dos fundos
    este país(conjunto de pessoas que têm uma identidade de 1000 anos )para o poderem escravizar ou

    ainda vale a pena dar o benefício da dúvida????

    PASSOS COELHO::: ÉS UM JÓVEM.. CONHECI-TE EM MIÚDO..

    SEMPRE ADMIREI A POSTURA DO TEU PAI..

    mas desculpa estou muito escaldado…

    Tenho receio que faças como muitos transmontanos em que acreditámos.. orgulhosamente votámos e nos trairam… iludiram-se com os prédios altos de Lisboa..com as lampadinhas.. com as badalhocas a cheirar a chanel 5., as mordomias e os carros que fazem bruuummm. ROUBARAM-nos tudo.. a água, o vinho, as batatas, destruiram -nos as terras com as barragens, tiram-nos o pouco que D. Carlos e Salazar nos tinham dado, roubaram-nos os homenes para as várias guerras.. obrigaram-nos a emigrar.. e agora

    acaba, por ROUBAR TUDO e a única alternativa de sovrevivencia que o teu secretario dá aos jóeven deste teu país é .. EMIGREM?????,,, Passos Coelho..

    foste tu que escolheste esse imbecil para te apoiar????

    Eu estou na dúvida .. farto de ser enganado , vigarizado, trapaçado… mas …. que me resta com os meus 60 anos .. bem f didos e ref didos??? Que resta aos meus filhos e netos e aos filhos e netos de todos os verdadeiros PORTUGUESES preocupados com a sua terra..

    mas… mesmo assim… prefiro acreditar que consegues e és bem intencionado .. tal como acreditei

    no Lima, no Sócrates, no Almeida Santos, no Vara , na Estrela, no Morais, no Barroso, e mais numa série de pequenos palermas que devem estar com a consciencia tranquila de tudo ter feito para contribuir para o desenvolvimento da sua terra e da sua regiºao…

    que apesar de ser das que mais contribui é a mais pobre, atrasada , despovoada e desertificada de toda a união europeia..

    PARABÉNS A TODOS OS PAROLOS QUE RENEGARAM AS SUAS ORIGENS.(alguns qundo lhes perguntavam de omde eram ,, respondiam com voz efeminada ,, de Cascais.. E TRAIRAM TODOS OS QUE NELES CONFIARAM E VOTARAM

    bem mas… mesmo assim… prefiro acreditar que consegues e és bem intencionado .

    e acreditar que nao és como toda a outra gangada

    Se não acreditar em ti.. é como não valer a pena.NADA

    TAMBÉM NÃO TENHO ALTERNATIVA…

    abraço

    mcarvalho

Trackbacks


  1. […] quem se queixe de ter visto a sra. ministra apagar comentários prévios a propósito do calamitoso Plano Nacional de Barragens. Ainda há semanas foi a vez de o ministro Miguel Macedo sair de […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: