Quando Morre um Escritor?

…um escritor morre quando renega a sua palavra escrita no papel.

Comments

  1. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Obrigada pelo envio deste pensamento tão eloquente e tão próprio de quem nem jornalista foi, mas apenas publicitário de títulos
    E este “título” é próprio do conteúdo (da criatura) – valha-nos Deus


  2. Muitos políticos, a maior parte, confesso, causam-me asco.
    Enoja-me a hipocrisia, o dizer algo em que não se acredita minimamente com o intuito de dái retirar dividendos. Ira-me o fazer o contrário do dito. Obnubila-me de raiva a corrupção e o prejudicar alguém, quanto mais um povo inteiro, para defesa e proliferação da classe.
    Não consigo enquadrar Francisco José Viegas neste quadro. Parece-me ainda assim boa pessoa que deu tiro de canhão nos próprios pés. Acredito que não fique até ao fim do mandato.
    Espero que assim seja e que mais tarde ou mais cedo, embora cedo já não seja e nos valha apenas que tarde é melhor do que nunca, FJV se demita desta pilha de estrume onde se meteu e por nós, mas sobretudo por ele mesmo, se lave da merda que se agarrou à sua pele e cujo odor impede, por causar ardência ocular, que dele nos aproximemos para o tentar sequer compreender.
    Cumprimentos.


  3. “Este não é um livro sobre nenhuma outra história senão a que aqui se conta.Gostaria de o dedicar à memória do meu avô,que sabia os horários de todos ou quase todos os comboios portugueses e os números de algumas composições menos importantes,como foi a sua vida. Na verdade se ele estivesse vivo,gostaria de ver estas fotos.”(Comboios Portugueses -Um Guia Sentimental) F.J. Viegas.
    Ah, se ele estivesse vivo…?
    Cada um pense o que entender.


  4. entretanto morreu um grande transmontano.. um homem com coragem e caracter.. um verdadeiro seguidor de Torga e não como esses badalhocos travestidos que para aí andam a falar em seu nome com a boca cheia de mer-a e um dos grandes defensores do Tua e da sua linha .. a quem dedicou toda a sua vida… e por quem MORREU.. legando o seu trabalho e tributo a TODOS…

    Um até breve ao senhor ANTÓNIO CARVALHO… orgulhososo do seus principios , do seu trabalho e dos valores.. NÂO SERÁ ESQUECIDO.. no futuro.. embora o tenha sido neste presente tão efémero……….

    EU nunca o esquecerei..

    mario carvalho

    ………………………

    eu tenho nojo,.. nojo… nojo … asco… asco … asco… destes viscosos langonhentos ..

    tiveram coragem de ganhar dinheiro a escrever “merdas” de cabeças idiotas sobre valores que os transcendem .. só para cagarem o que não sentem … e agora que podem por em prática .. não têm coragem ,porque se disserem o que diziam que sentiam … deixam de ganhar dinheiro para poderem comer e cargar à vontade.. que a raiva dos vossos antepassados vos persiga .. até ao fim … asquerosos.

  5. Zé Carioca says:

    Mas que falta faz ter coluna vertebral, eu sei que é duro ter de roer ossos, mas temos sempre uma porta para sair.

  6. maria celeste d'oliveira ramos says:

    *Perdão meus senhores mas apesar de apenas secr Estado não
    e pior do que qualquer outro- só na tutulação é diferemte – o que Aham de Crsitas wue nem água sabia mandar buscar pelos Bombeiros para regar em fev od +padtos para não morrerem cabras e vacas e casrneiros – acham que Cristas vale o que quer que seja ?? Se quem me lê sabe nem que seja apenas po babá verá que ela é tanto ou mais ignorante que Viegas e mais perigosa pois a ministra (ganha mais pelo menos) e ela podia ter evitado o desastre do TUA – se não tem poder de decisão para que serve uma ministra ?? quem manda é a EDP mas não sei quanto nem com quanto – apenas que me disse que já não podia voltar atra´s aos compromissos – falei com ela no gabinete dela – aliás como falu, e antes de mim, Ribeiro Telles – mas não vale a pena falar com amanuenses que não estão ali para governar e salvar o que do país é para salvar e guardar como casco hsitórico e natural e paisagistico – e deste governo são todos piores do que os anteriores – se quizerem pensar no FreePort é igual – além de sócrates ser o mais ignorante do mundo (sei sei que ele não sabe apesar de se ter intitulado engenheiro do ambiente mas eu diria engenheiro de merda) tinha à perna (e permitiu) todos os que — aliás como todos – nenhum é livre – nenhum é honesto – estão em lugares que “valem muito”
    e só depois de terem deixado de ser ministros vão às tv ser entrevistados para dizer o oposto do que fizeram – porque será ?? os que dizem pois há os que como o jamé, diz sempre a mesma merda – é um infeliz de tanta ignorância que mostrou com a OTA e aeroporto – são amanuenses – e hoje estou muito bem educada – e sou colega de todods (menos um que era psocólogo Jaime Silva) ministro da agricultura que hoje estão em bruxelas – qual acham o melhor e porque destruiram 86% de produção agrícola e onde hoje se fazem barracas de pedra e cal nas áreas agríolas (milenares) abandonadas com a PAC e onde de 1999 a 2008 se fazer as casinhas dos pobrezinhos das barracas de que fui júri do INH/IHRU – De médicos e loucos todos temos um pouco e toda a gente pensa que sabe o que é ordenamento biofísico – NEM PENSEM nisso – não é como arrumar objectos numa gaveta ou fazer um puzzlle – Leiam Orlando Ribeiro Portugal Atlântico e Mediterrânico se quizeram perceber o abedecedário do ordenamento – não faz mal a ninguém – pelo contrário – aprender japonês é mais fácil

  7. maria celeste d'oliveira ramos says:

    O pior do não saber é não saber que não se sabe

Trackbacks


  1. […] as palavras vertidas preto no branco, em 1988, em homenagem ao avô, valem nada, são letra morta. Francisco José Viegas, […]


  2. […] Francisco José Viegas (2.º a contar da direita), com oito anos, deixa o Pocinho (Linha do Douro) em direcção a Chaves. De comboio, claro. Anos mais tarde, num livro chamado “Comboios portugueses – um guia sentimental” haveria de dedicar ao avô alguns parágrafos, sobre o Douro, sobre o Vale do Tua, que importaria sempre, sempre preservar. Mais tarde, reforçaria nas páginas da Ler a mesma imperiosa obrigação. A seguir comete “o erro de aceitar um cargo político” e é feito Secretário de Estado da Cultura, pasta esta com responsabilidades indesmentíveis na protecção e classificação do vale e da Linha do Tua como  património nacional. Nada fez, que nada podia fazer. O que tinha a fazer nesse momento, caso fosse um escritor com apreço pela palavra escrita, era única e simplesmente abdicar do cargo por manifesta falta de força política para fazer cumprir. Para mim, Francisco José Viegas é o pior exemplo do que pode ser feito a homem das Letras. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.