PSD e CDS: a obsessão da multiplicação dos pobres

“Acordo vai bem mais além do que estava estipulado pela troika”

Álvaro Santos Pereira, Min.Economia e do Emprego

O dueto Passos Coelho – Paulo Portas titula o governo mais anti-social de que há memória no País pós-25 de Abril. Tem de se reconhecer, aliás, ser um género de acção política coerente com os propósitos publicitados. Passos Coelho – lembre-se – anunciou ao País a estratégia do empobrecimento e, efectivamente, está a conseguir implementá-la com sucesso. O fecho das negociações do ‘acordo de concertação social’ constitui mais uma etapa da estratégia e a produção de novo instrumento de degradação das condições vida, já aviltadas, de centenas de milhares de portugueses.

Sei na circunstância da subordinação humilhante à ‘troika’ – com resultados catastróficos a prazo, a ter em conta o sucedido na Grécia e na Irlanda. Também não ignoro as heranças de Sócrates aos portugueses, e sobretudo os precedentes em matéria de revisão neo-liberal das leis laborais. Constato com amargura a adesão da UGT ao sinistro acordo – “Concertação. Menos segurança, menos feriados e menos protecção no emprego”, considera o Jornal “i”.

Coelho e Portas estão a protagonizar o crime da multiplicação dos pobres, com a conivência do Partido Socialista. Na história europeia da social-democracia, da democracia-cristã e do socialismo democrático, não há lugar para capítulos, semelhantes sequer, de atentado a direitos basilares do cidadão, como os que ocorrem na Europa de hoje. Disfarçados com etiquetas que não honram as respectivas ideologias partidárias, os neo-liberais, pulverizados aqui e ali de gente medíocre e sem carácter, avançaram avassaladoramente no sentido de atirar para a pobreza, e até para a miséria, muitos trabalhadores que, assim, se reunirão ao exército de precários já existente.

As mais perversas alterações da lei laboral relacionam-se com a facilitação dos despedimentos e a minimização das indemnizações por cessação do contrato de trabalho. Um trabalhador, com 20 ou mais anos de antiguidade na empresa e de idade entre 45 e 56 anos, por exemplo, terá de contentar-se, a partir de Novembro de 2012, com 12 meses de indemnização, parte dos quais calculados na base de 20 dias / mês, ingressando no grupo dos designados ‘desempregados de longa duração’, ou seja, em trânsito acelerado para a situação de pobre.

Sem complexos, até porque não alinho ideologicamente com PCP, é para mim obrigatório homenagear Manuel Carvalho da Silva, um dirigente sindical que, em breve, o deixará de ser. Para mal do sindicalismo português, acentue-se. Como também lamento a falta de estruturada organização dos chamados ‘movimentos inorgânicos’. Todos somos poucos para acabar com Coelho, Portas e ministros ridículos do tipo de Álvaro dos Santos Pereira, o vendedor de pastéis de nata.

Comments

  1. Observador says:

    Sobre a desconstrução social em curso, o PS anda à deriva, após a bajulação do sr. Proença.
    Mas será bom lembrar também, que foram os portugueses, e na sua maioria os trabalhadores, que elegeram esta gente para o governo.

  2. Carlos Fonseca says:

    Observador, sem dúvida. É caso para dizer: bem observado!

  3. chatice_tuga says:

    Será que temos assim outras opções?
    Ainda me lembro da cena da “Casa Pia” e da pouca vergonha do afastamento de Ferro Rodrigues e Paulo Pedroso. Um PS de Esquerda não dá jeito aos poderes que controlam este país. A pedofilia e crimes afins servem para manter o “status quo”.
    Quem precisa de uma Esquerda de ódio e de uma Direita vendida?

    Se querem manter esta democracia a flutuar, precisamos de opções viáveis, ter cada vez mais eleitos pela maioria de uma minoria cada vez menor é pura tirania. A abstenção precisa de espaço, o seu peso é definitivamente demasiado para não ter voz representativa no Parlamento, talvez esse espaço permita uma democracia direta e permanente por referendo eletrónico.
    Acabem com acusações, realizem-se as soluções, todos queremos o mesmo, viver melhor, qualidade é a palavra-chave.

  4. Observador says:

    É caso para dizer: “uma maioria, um governo, um presidente” e depois, quem manda nisto é a gente!


  5. É arrepiante o que se passa!!

  6. marai celeste ramos says:

    Pois este dueto apostou na demolição do país estrutura a estrutura socio económica e até cultural já que cultura nem jornalística
    Demolir ou deixar ruir como a habitação secular – demolir até cair e já há 25% de pobres – nem no tempo de Salazar em que vivi e não havia fome – não havia mais nada mas havia a horta nos arredores de Lisboa e o Burro que trazia à porta água + azeite e leite e o amolador – agora só a o amolador – ques e amolem todos os que fogem para Ilhéus no Brasil, o país que tão bem conheci e é o mais miserável socialmente do mundo e até cheira nas ruas do Rio como há miséria humana e ética – o brasil,vam comer o que não comeu ainda e a Xina fará o resto – há razão para mandar emigrar mas eu já não tenho idade para emigrações destas – POIS a UGT saíu ontem de rosto sor de rosinha contente e feliz por ter ajudado a FODER não os que têm menos mas os que como eu pertencem à classe média onde estão os SABERES e que produzi parte dos 90% que aguentaram o apis para eles roubarem – e se a pequena e édia empresa sempre foi no mundo responsável por 90% da produção e riqueza moral e intelectual e económica porque as multinacionais não contam para estas contas, se falirem não falem deslocalizam este dueto nem terá onde e a quem ROUBAR e ficará, como o rei; Rei das Estradas de Portugal, as tais da década de 80, onde a dsgraça começou, com essas IPs mal traçadas e são uma merda e eu até apredi a desenhar estradas certas, no sítio certo e estas nem no sítio certo estão pois que provocaram um morcellement (perdão mas não sei traduzir) de todas as paisagens que, com ecossistemas decepados levou ao deserto + etc – e quem não vir o que eu digo é penas porque para haver árvore é preciso haver semente e esta IP é a semente do MAL e muito me admiro de o país ter durado tanto – mas agoniza e morre-se de velho (há 19% com mais de 63 anos incluindo eu) que morrem em casa sem ninguém dar por isso mesmo com vizinhos e ficam 7 anos sem se dar pelo desaparecimento – o meu destino como do país – morrer sem se dar por isso e por isso me AGONIA os parvalhões idiotas e ordinários que fazem comments no AVENTAR com nomes patéticos e brincalhões – a geração das boîtes – e estudaram com o meu esforço e dádiva da Greve Abril 1962 e hoje são um monte de merda convencidos de terem todos os direitos incluindo linguagem ordinária e não sabem nada de nada nem do que copira para os seus “textes” de truque de 3 alternativa e fechar os olhos e apontar i dedo e se acertam não saben porquê e se erram também não sabem – não sabem por isso nem emigram – não há lugares para eles excepto em commens de blogs, talvez nos computadores dos serviços Públicos que servi 38 anos e representei portugal na ECO-92 mas era non grata às chefias porque não aprovava implantações de Freeport em Rede Natura nem Algarves a poder fazer deslizar falésias de Albufeira ou casinhas nas dunas de Caparica que o mar COMERIA e comeu, ou o queijo suisso do Funchal que um dia deslizaria e delizou e agora querem não sei quantos milh~es para pagar o “queijo” e lá vai o meu IRS que sobe sobe, para pagar a palhaços e prepotentes e ignorantes porque o SABER não está onde muitos intelectuais julgar estar e ELOGIAM tando “desenvolvimento” mas que uma chuvada atira ao chão – o saber primordial +e das ciências da terra – o resto queluqer um ppode adquirir – este dueto e geração é parte dos descendentes que hoje se empoleiram onde calha e que em meia dúzia de anos avacalharam o que eu e outros como eu fizeram em tempo de actividade profissional e tantos já morreram mas eu ainda aqui estou a ver como deitaram ao lixo o que fiz e também ensinei nos supermercados do ensino como a Lusófona onde nem se sabe que nada se sabe e se vai obter um Atestado de Incompetência que ninca dei e por isso tive de sair emandá-los à merda depois de mais de uma dezena de anos e os Licínios Cunha que eram sec de Estado do Turismo do mais corrupto que vi e vi muitos até os que fizeram o primeiro molhe de sines que uma onda de 17 metros desfez e fizeram outro esses engenheiros de merda que desprezaram o saber alheio +++ etc – escreveria uma enciclop+édia porque tenho 100 anos de HISTÓRIA e de vida – sim este é o mais malvado dueto que soube esperar e lá está gozando- mas quando eu morrer só levarei para cova a minha honra e eles nem isso levarão porque nada têm – é um país deprezado agora pelo mundo que percorri durante anos e gora restam os coveiros do FMI e a Brother’s – grande IRMANDADE – só desejo que pelo menos “durem tanto como eu, que nasci em tempo de guerra e pobreza mas riqueza moral e humana embora nem ppudesse voar at+e aos 46 anos mas agora tamb+em não voto – só no Partido da Terra e da honra e aprendi a dizer palavrões e digo que vivo, ainda, no meio do PUTEDO e os meninos dos comments são já descendentes do putedo porque o putedo já vem de longe e alguns foram PR e pelo andar da carruagem logo se vê quem vai lá dentro e os meninos dos comments vªe-se bem que “lá dentro” não t~em nada e apenas tempo para diarreias mentais

  7. Maquiavel says:

    Espera… como de costume a UGT capitula aos interesses do grande capital e do governo mais reaccionário da democracia… e como de costume a culpa é da CGTP!!!

    Brilhante “análise”!

    Este artigo após a loa a Fraga.
    E depois admiram-se de perder no prémio “Melhor Blog de Esquerda”…

  8. Maquiavel says:

    Gaita… o comentário anterior foi para o artigo errado! Podeis apagar?

    Quanto a este artigo, está excelente.

  9. Carlos Fonseca says:

    Caro Maquiavel,
    Amanhã, porque estou de viagem, tratarei do assunto.

Trackbacks


  1. […] Parece ainda pensar-se que temos hipóteses de competir via o abaixamento dos salários, como se estivéssemos numa corrida para ver que consegue ser mais miserável e como se tivéssemos alguma hipótese de ganhar essa […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.