A última crónica de Pedro Rosa Mendes na Antena 1

Versão remisturada. Tem uma explicação, para lá da solidariedade óbvia de qualquer democrata com este atentado relvista à pluralidade de opiniões que não cabe no que eles pensam ser o bem da sua nação.

Chama-se espírito Rádio Universidade de Coimbra, hoje possivelmente a última rádio livre em Portugal, onde conheci o Pedro e algumas vezes nos entretivemos com estas coisas de usar a voz e a música para contar que a verdade é um veneno.

Entretanto tenho reparado que a direita, à falta de argumentos, pergunta a alguns dos que se revoltam agora onde estavam o ano passado. Eu sei onde estava e onde exactamente esses não estiveram, e por aqui escrevi sobre outras censuras, mas não deixo de deixar uma ressalva: ao contrário de Mário Crespo e Manuela Moura Guedes, o Pedro Rosa Mendes é mesmo jornalista.

(feito com José Mário Branco, uma recolha de David Fanshawe no Uganda e Area)

Comments


  1. Os cinco CENSURADOS pelo “relvas”, têm que voltar rápidamente, fazem muita falta a este País. Vocês hoje representam o Capitão Maia do 25 de Abril !!!
    O motivo de hoje foi a nossa patroa Isabel dos Santos no futuro vão ser os Chineses.
    Estamos entregues a uns políticos de m…

  2. antonio says:

  3. antonio says:


  4. Tive a honra, e o proveito, de conhecer o Pedro em Montpellier, por intermédio dum amigo comum.
    Já o conhecia de reputação, e esta não me desiludiu, antes pelo contrário.
    Este não é o primeiro saneamento de que é vítima. Já fora saneado da LUSA.
    Porquê? Porque é jornalista. Uma profissão em vias de extinção em Portugal.
    Já não havia telejornal, já não temos jornais (a menos de chamar jornais aos pasquins a soldo dos respetivos proprietários, eles mesmos ligados ao governo ou a quem financia os partidos do governo)
    Havia ainda alguns jornalistas na RDP. Coisa inconcebível para os fascistas que nos governam.
    Fascistas? Olhe que isso é uma palavra muito forte! Dirá talvez a maioria.
    Mas as palavras existem porque têm um sentido e é quando esse sentido se aplica que devemos utiliza-las.

    Salazar levou 10 anos a tomar o controlo total do Estado português (1926/1936).
    Quanto tempo levarão estes a faze-lo?

    Tito Lívio Santos Mota

Trackbacks


  1. […] Alô, alô, Pedro Rosa Mendes. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.