Os bobos do povo.

Não sei se já repararam que, geralmente, os mais imbecis têm tendência a evidenciar-se entre os prudentes. Com frequência um imbecil faz tudo para sobressair, porque a mediocridade inibe a imaginação e, por conseguinte, a inteligência. O Bruno Nogueira e o Manuel Jorge Marmelo fizeram esta semana duas crónicas, uma lida (na TSF), outra escrita(no jornal Público), sobre a monarquia que é bem o reflexo dos seus apelidos: a noz é apetitosa, mas é preciso partir-lhe a casca e o Marmelo…bem para além do uso culinário, muito mais haveria a dizer sobre este fruto. Eu, se tivesse algum destes dois apelidos, habituar-me-ia a ser discreto e menos jocoso.

Embora acredite no projecto monárquico não antevejo que proximamente seja aceite pelos portugueses. Mais depressa pedirão uma ditadura pessoal, como a que os satisfez, pobretes e alegretes, durante meio século. Durante esse tempo, embora a censura fizesse os seus riscos de lápis azul, nunca deixou de existir caricatura e teatro de revista, bem ao gosto português: enquanto houver riso, bebida e comida tudo, para ele, está bem (vd. Zé Povinho, sempre risonho e borracho). Por isso embora não crendo que a monarquia regresse, também não penso que a principal razão para tal seja a falta de bobos.

Comments

  1. jotadê says:

    Concordo com a opinião
    Discordância verbal:
    “não antevejo que proximamente ….. aceite pelos portugueses.”( será/seja)?
    “enquanto….. riso,bebida e comida, tudo para ele está bem. (haja/houver)?
    “Por isso, embora não…..que a monarquia regresse… (creio/creia)?


  2. Obrigado.

  3. Xarope d'Alho says:

    Há os bobos do povo e os bobos da corte…
    Eu prefiro os do povo.


  4. Padece também Vossa Senhoria de falta de ferrador?. Quedai tranquilo que este republicano vos ferrará com todo o gosto. Assim, com sapatos novos, poderá Vossa Senhoria escoicinhar contra a escória republicana.

  5. costa says:

    essa ideia de colar a ditadura à república é muito engraçada. parece que em monarquia sempre se viveu na mais pura das democracias… ridículo, folclórico e anacrónico.
    mas enfim, estamos em fevereiro é fruta da época.

  6. insulas ocidentaes. says:

    bobos são bobos,e há muitos…

  7. Ricardo Santos Pinto says:

    Que violento estás, Nuno… 🙂
    Mas já agora, e sem querer ferrar-te como o nosso comentador de cima, sempre te direi que os textos que o Bruno Nogueira lê na TSF são escritos pelo João Quadros. Olha, outro apelido para poderes brincar.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: