Onde ardem as “ajudas” à Grécia?

Diz o ministro holandês das finanças:

temos de certificar-nos que o dinheiro que emprestamos não é consumido pelas chamas.

Por cada euro que entra apenas 19 cêntimos se destinam a gastos do estado, 40% vão direitinhos para a banca internacional. Ou seja, a Holanda empresta à Grécia para pagar à finança.

É percebendo isto que se entende o sentido do “não pagamos”. Diga um outro governo grego que acabou a zorba para os especuladores (incluindo por exemplo o “nosso” BCP) e a música será outra, obviamente com efeito dominó. Faça um governo português o mesmo e cai a Espanha, e a Espanha deve sobretudo a banqueiros franceses e alemães. Entendidos quanto aos interesses em jogo, e percebido quem está a ajudar quem?

fonte do gráfico

Comments

  1. Lagartices says:

    Quando um povo é atacado, todos os povos são atacados.
    Sábado, dia 18 de Fevereiro, irão realizar-se manifestações por toda a parte em solidariedade com o povo da Grécia.

    LISBOA
    6:00pm – 11:00pm
    Praça do Rossio
    http://www.facebook.com/events/234418199983422/

    Restantes locais: https://n-1.cc/pg/pages/view/1173320


  2. Isto é tão evidente e, no entanto, os nossos políticos assobiam para o lado quando se fala disto.

    Já agora, convém ter em conta que mesmo este dinheiro todo que está a resgatar os bancos não é suficiente para para os salvar. Na melhor das hipóteses ficamos como o Japão que há 20 anos tem crescimentos anémicos devido a políticas idênticas a estas, o mais provável é os bancos falirem na mesma.

  3. José Galhoz says:

    Apesar de todas estas evidências, pressinto que a esmagadora dos portugueses ainda não percebeu o fundo da questão. Consequência: confusão e desespero, o que não ajuda nada à necessária mobilização. Só nos resta esclarecer e esclarecer, até que nos doa a voz e os dedos…

  4. Tiro ao Alvo says:

    “Apesar de todas estas evidências, pressinto que a esmagadora dos portugueses ainda não percebeu o fundo da questão”, diz o Galoz. Nem os portugueses, nem os holandeses, digo eu, como se pode ver aqui: http://economia.publico.pt/noticia/ministro-holandes-o-dinheiro-que-emprestamos-nao-pode-ser-consumido-pelas-chamas-1534205


  5. Carlos, esse artigo está linkado lá em cima, em “o ministro holandês das finanças:”
    Quanto aos holandeses, segundo as últimas sondagens que dão o 1º lugar ao BE lá do sítio, parece que começaram a perceber.

Trackbacks


  1. […] parece fundamental: se em Portugal, ou na Grécia, muitos não percebem que por cada euro recebido apenas 19 cêntimos são utilizados pelo estado grego e que na prática as ditas ajudas vão direiti…, na Alemanha muito menos se entenderá o mecanismo da crise. Da crise dos banqueiros e da forma […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.