Reforma administrativa: um único concelho no país

Estado eucalipto-centralizado
(Clicar para ampliar)

O Aventar soube que o próximo passo da reforma administrativa será a fusão de todos os municípios num único. Para que não haja críticas de favorecimento a Lisboa, a sede do futuro município português em Vila de Rei, centro geográfico de Portugal. Assim, e de acordo com as palavras de Álvaro Santos Pereira, “o centro do país ficará mesmo no centro de Portugal.”

É certo que todas estas alterações obrigarão à construção de um vasto conjunto de edifícios, mas a poupança gerada pela diminuição dos gastos com pessoal compensará largamente o investimento a ser realizado. Será, ainda, construído um aeroporto ao lado do marco geodésico a 10 km de Vila de Rei, que será dotada daquele que passará a ser o único hospital do país. No que respeito à Educação, será também em Vila de Rei a sede do Hipermegateragrupamento da Escola EB1,2,3 com Secundário Portugal.

Assim, haverá três juntas de freguesia: Vila Real, Vila de Rei e Vila Real de Santo António. Para evitar gastos supérfluos, o Presidente da Câmara de Vila de Rei será também Presidente da Junta e será, por inerência, Presidente da República. O cargo de Primeiro-Ministro será extinto e Vítor Gaspar passará a acumular a Pasta das Finanças com a da Economia e a da Agricultura. Santana Lopes já declarou que será candidato a qualquer um dos cargos que sobra.

A Causa Monárquica rejubilou com a escolha de povoações cujo nome está relacionado com a realeza e vê aqui um sinal de que a monarquia estará prestes a regressar. Dom Duarte Nuno já declarou que aceita Santana Lopes como Presidente da Junta.

Comments

  1. palavrossavrvs says:

    LOL Por enquanto brincadeira e anedota, um dia o único garante do nosso orgulho, identidade, reconciliação com a História milenar.

    Viva Portugal. Viva Sua Alteza Real.

  2. MAGRIÇO says:

    D. Duarte Nuno? Então o herdeiro não é o Nuno da Câmara Pereira?


  3. Quanto mais afastarem o centro de desição menos participativa será a gestão pública.


  4. Não esquecer de criar muitos milhares de empresas – publicas, municipais ou o que for – para dar emprego à malta dos partidos.

  5. Zuruspa says:

    Mais uma vez um delicioso artigo!
    Embora isto dê ideias ao “governo”…

  6. maria celeste ramos says:

    Humor precisa-se – E para poupar alugava-se um skyscrape do Dubai – E Até porque se compra edifífios para o Estado para depois serem alugados pelo — Estado

  7. Ricardo Santos Pinto says:

    Humor? Mas então não é a sério?!
    Ao tempo que não me ria tanto, Fernando

  8. maria celeste ramos says:

    E quantos vão morrer antes da data da reposição dos salários a retirar ?’ se calhar estou na lista e por este andar será só em 2007 como um deles se deixou descair a dizer e nem sei se foi o demente do senhor relvas – eles têm tesoura de talhante e corta-relvas

  9. Afonso Jorge says:

    Aceito lugar de operador de elevador.

Trackbacks


  1. […] Noutros tempos, os mapas resultavam da descoberta de novas terras. Com o novo mapa judiciário, parece passar-se o inverso: as terras já conhecidas são apagadas. A cegueira é, agora, para além de uma virtude da Justiça, um defeito da ministra. Já não deve faltar muito para que a realidade seja mais disparatada que um disparate qualquer. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.