Filhodaputalogia

O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico está fartinho de disfarçar e atenuar o facto cristalino de Sócrates ter gamado em comissões, directa ou indirectamente, centenas de milhões de euros ao Estado, parte dos quais foram colocados em offshores em nome de familiares seus: vem no Correio da Manhã, tipifica o modo de contornar todas as eventualidades próprio dos variadíssimos corruptos impunes, imunes, intocáveis, protegidos, que temos por aí. O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico disfarça retoricamente o mais que possa que Sócrates se rodeou de escroques e meliantes, pelo menos nas onerosas assessorias, como a do cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico «Luís, estou bem assim ou assim?» para vender chouriços de patranha e optimismos fode-contribuinte, pelas TV, homilias rascas pelas TV, sermões gesticulatórios de encher, pelas TV, e assinar contratos comissionistas com empresas amigas, bancos amigos, contratos esses que lesaram o País em milhares de milhões de euros e destruíram o desafogo fiscal das próximas gerações. Finalmente, o cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico odeia a coragem do Correio da Manhã, onde se vem demonstrando cristalinamente que Sócrates abusou do Poder, controlou com desmesura os media, manipulou com despudor as massas, transformou e avacalhou a governação em circo de impossíveis numa tourné permanente, fazendo de cada causa pseudofracturante o mesmo pão circense que servisse de biombo a tudo o resto malicioso, nomeadamente à dívida pública feérica, nunca nomeada, nos seus esgares de cretino, nunca aludida, nas suas poses de louco.

Graças à corrupção moral e venalidade crassa dos nulos actores na cúpula do Poder Judicial, Sócrates nem vai a tribunal nem talvez vá, o que nos resume. O cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico só pode ganhar dinheiro por escrever todos os dias acerca da divindade imaculada de José Sócrates, que soube federar na mesma ou pior língua de pau e língua de palmo, nas mesmas ou piores teimosias asininas e agressividades bestiárias, Maria de Lurdes Rodrigues e, um pouco menos, Isabel Alçada, que pudemos ver a defender a Festa Fútil da Despesa em discurso ridículo e insano na comissão de inquérito, levando os deputados e o País às lágrimas de tanto rir. A filhadaputologia socratesiana está a deixar escapar material precioso para o estudo do cabrão brochista anónimo e assessor socratesiano típico, um dos espécimens mais puros em todo o reino animal capaz de fellationes e prostituições intelectuais de inaudito calibre.

Comments


  1. isso é, com toda a certeza, inveja do Val. e filhadaputologia é a forma, esta, com que a expressas.

  2. palavrossavrvs says:

    #1
    Inveja do Val? Quem é a merda do Val? O que é o Val? Que intimidade é essa com o Val, Olinda? Não diga mais, Olinda. A Olinda olava uma mão que olava a outra.


    • a merda, aquilo que faz crescer, do Val é a elegância e clareza com que escreve sobre o que pensa sem ter necessidade de insultar os que dele discordam. e é só o que tenho para te dizer.

  3. palavrossavrvs says:

    #3
    Se há coisa que o “Val” faz é insultar e censurar. Nunca li em lado nenhum tanto chamamento de “imbecil” por parágrafo, como no “Val”, nem tão ignóbil bando de hienas como as hienas que vão ladrar-rir na caixa de comentários do “Val”.

    Vá nanar, Olinda. E leve o peluche “Val” consigo bem aconchegadindo, coitadinho do avençado.


    • coitadinho, nunca; aconchegadinho, sempre; já avencado, e não avençado, é com toda a certeza – pela pastilha medicinal, pouco convencional e alternativa, que toma e dá a provar.

  4. maria celeste ramos says:

    a enxurrada – ou tsunami – de corrupção do país – e que se percebia à medida que se óa vivendo o quotidiano foi tendo barragem de palavras de alguns mas não evitou a enxurrada – Canavilhas está a defender a Escola Bonita – eu acho que o menino do bairro da lata merece a escola mais bonita do mundo – ao menos isso – o drama é quem roubou mais do que poderia ter custado mas houve pior do que estas 305 escolas – o espaço dá postura diferente a quem usa – Guiné Bissau continua aos tiros – capital ocupada com golpe de estado ummês apenas depois – sic 21:30 – comparar as escolas com a EDP e o TUA é preciso, o que não justifica os excessos e menos os roubos – mas dá a medida da alienação que entretanto está destapada e quem está envolvido e talvez leve cada cidadão a querer maior intervenção – não sei porque estou do lado das vítimas e de há longos anos embora o auge seja agora – mas nem vejo que este governo seja melhor porque é apenas diferente e demolidor do que de melhor restava e vende a preço de saldo o que de mais precioso havia e vai demolir – demolir – demolir a vida e para muitos o prazer de viver – ladão e ladrão criminoso e crime o diabo que escolha e que fala balando do que vai ficar

  5. ana cristina says:

    tinha de ser dito. bravo.


  6. É mais ou menos verdade, mas infelizmente já o vi deitar o bébé fora junto com a água de banho e não ver nada, por pouco que tenha na verdade sido, de positivo nesses anos.
    E isso não só é uma pena como é perigoso, porque daqui a pouco só os ricos têm ordenado e já fica toda a gente contentinha.


  7. Eu tenho lido algumas das tuas crônicas e até acho que na prática refletem o interesse de muita gente em julgar os corruptos, mas essa tua fixação no Sócrates me deixa um pouco encabulado porque meu caro no PSD deviam estar a ser julgados muitos dos seus mentores inclusivamente o tio Cavaco que enricou e não se sabe bem como e deixou o país no caminho da miséria onde hoje se encontra mas tu lá saberás o porquê da tua fixação….continua mas deixa a mascara, escondes alguma coisa

  8. palavrossavrvs says:

    #9
    Joaquim Carlos da Rocha Santos, ao seu serviço. Não deixo de concordar com o Artur. Não é fixação. É a magnitude do problema Sócrates e o descaramento respectivo.


  9. Ó Olinda…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.