A Escola em marcha atrás

“As medidas adotadas pelo Governo têm três objetivos: primeiro, a redução cega de custos, obtida a partir do despedimento obsessivo de professores e de outros profissionais do sistema, da concentração de alunos em agrupamentos de dimensão cada vez maior, da transferência de encargos da responsabilidade do Estado para as famílias; segundo, obter dados estatísticos favoráveis às políticas do Governo, através da desvalorização e menorização de aprendizagens – desde as atividades físicas e desportivas às artes, à cultura e à formação para a cidadania – invocando a necessidade de priorizar “saberes essenciais” e “disciplinas fundamentais”, de adaptar a Escola às “condições da sociedade”, às “exigências do trabalho” ou do “mercado”; terceiro, colocar a Escola totalmente integrada e ao serviço das ideologias neoliberais e retrógradas que sempre se hão de opor à equidade e a direitos universais e solidários garantidos a todos os seres humanos.”

Manuel Carvalho da Silva, em artigo de opinião no JN do dia 11 de agosto de 2012

Ele diz, obviamente com outra qualidade, algo parecido com o que tentei escrever aqui no aventar uma e outra vez.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Sim muitos portugueses, até demis têm muitas opiniões – preferia que teivessem idéias

  2. maria celeste ramos says:

    Mas as idéias são tais e tantas que só emigrando – obedecendo a relvas – a única idéia concreta e talvez eficaz – espécie de purga pascal

  3. MAGRIÇO says:

    Pena que Carvalho da Silva tenha “adoptado” o novo AO!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.