A culpa é do Pinto da Costa

Confesso que este é o fim de linha da argumentação de qualquer benfiquista que se preze, o que não é o meu caso.

Mas estou tentado a aderir. Palpita-me que na questão em apreço, das duas uma, ou é coisa do Gaspar ou do Pinto da Costa.

E qual é a questão?

Estava a ver que nunca mais perguntavam!

As ilegalidades nos concursos de professores, que tive o cuidado de trazer à cena neste palco e onde procurei explicar mais ou menos a coisa:

Ministério de Nuno Crato deixou as escolas e os Directores às escuras durante dois meses e só esta semana deu indicações sobre os procedimentos a seguir – naturalmente houve escolas que seguiram um caminho e outras que fizeram outras opções. Umas tiveram a sorte de acertar, outras não.

E nesta coisa da sorte e do azar, o Pinto da Costa costuma ter um papel central e daí a minha dúvida.

Para os Directores, a coisa é simples: a culpa é do Crato. Espero que ninguém na ANDE tenha um gato. Quer dizer, não tenho nada contra o felídeo, não me parece é muito correcto que depois de um Gaspar nos apareça outro gato com necessidade de aconselhamento psicológico.Voltando à vaca fria (não é uma piada ao Pinto da Costa, juro!) , os Directores e bem, atiram as culpas para o Ministério da Educação. Este responsabiliza as Direcções e no meio disto tudo quem se lixa são os professores.

Há muita gente que já começou a dar aulas e que foi notificada para regressar ao desemprego. Há exames à espera dos alunos no fim do ano e é o MEC que os coloca sem professores.

Por outro lado, o mês de outubro caminha para o fim e ainda há muitos alunos sem aulas, há professores forçados pela administração a deixarem as suas turmas, os desempregados continuam a desesperar por uma vaga e no meio disto tudo, Nuno Crato inaugura os Centros Escolares que Sócrates mandou fazer.

Com tanta confusão, começo mesmo a achar que a culpa é do Pinto da Costa.

Comments

  1. Pedro Marques says:

    Não é nada, está tudo bem. Então, nem a maioria do profs e alunos sai à rua de uma vez por todas. Nem o estado do ensino em geral, a fome nas escolas, a desistência leva a que todos parem e que fiquem dias e dias a lutar. Tal como se vê na universidade parece que não se passa nada, as praxes continuam, e tudo. Poucas são as manifestações, não se vêem professores, e alunos a fazer grandes contestações, ou sou eu que estou a ver tudo mal. O que me parece é que estamos errados e a vida escolar corre sobre rodas.

  2. José Manuel Costa says:

    Declaração de interesses: eu sou um Portista que se preza e um indefectível admirador de Pinto da Costa, mas julgo que a Educação estará longe de ser uma sua área forte. Apesar disso, tenho cá para mim duas fortes convicções: que, se ele fosse director de uma escola e tivesse que abrir concursos para recrutamento de professores, saberia escolher critérios constitucionais, legais e mais justos do que a maioria dos directores fez; que se ele estivesse à frente do Ministério da Educação e Ciência a situação não estaria pior do que está, havendo boas hipóteses de estar melhor!


  3. Com o Pinto da Costa andavam melhor as coisas,digo eu que nem sou portista.
    Também fazer pior é difícil…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.