Aos Filhos de Fouquier-Tinville

Chega. É chegada a hora de olhar para Pedro Passos Coelho e Paulo Portas e mesmo para o obediente frankfürter Gaspar como o último reduto para o êxodo-êxito da Intervenção Externa. Perante a incoerência e cinismo do FMI/BCE/CE, são eles, e não outros, a nossa única e exclusiva esperança, última oportunidade para nos salvarmos colectivamente de desgraças maiores, da desordem política, do caos fútil, do descrédito internacional.

Em geral, os partidos políticos na Oposição, certos comentadores e especialistas afectos a determinados partidos momentânea ou permanentemente fora do exercício do Poder, como o intelectualmente desonesto e autodeslumbrado Daniel Oliveira ou o visceral zarolho Miguel Sousa Tavares anti-docentes, só nos garantem o Fim do Mundo e nada mais que a desgraça geral e colectiva. O registo de Daniel Oliveira, especialmente depois do abandono espectaculoso do BE, passou a ser explicitamente desonesto quando, colocando em perspectiva José Sócrates [a devastação que pôs em movimento] e Pedro Passos Coelho [nada mais que um bombeiro atrevido com óbvio desinteresse na demagogia e no eleitoralismo, debatendo-se com a paralisia do Centro Decisor Europeu] escamoteia a evolução favorável dos números entre 2010 e 2013. No défice e na dívida. O Daniel, claro, dir-me-á, o que sempre diz ou manda dizer: «O seu post é uma coisa execrável!» Infelizmente, nunca acerta no alvo do que se deve realmente execrar como a venalidade intelectual que explica parte da desgraceira de País mediático em que vivemos.

Depois, há outros, os quais, nos insultos acerbos e na receita agitacionista de arruadas sangrentas, não têm a noção de se limitarem a fazer o jogo suicidário da desesperança, do desprestígio internacional, filhos inscientes, afinal, de Fouquier-Tinville. Conviria ter sangue-frio e embainhar a espada que faz morrer quem por ela viva. Filhos da puta há muitos. E aliás não cabem todos no Campo Pequeno para o fuzilamento redentor com que os super-democratas sonham.

Estar alijado para fora do poder deixa amarga e insultante a gente do costume e fora de si os Soares regimentais. Não precisamos de profetas desgracistas, anunciando-nos a saída do Euro ou um segundo resgate, se a verdade é que tudo está a ser feito no sentido inverso e com o apoio, venenoso ou não, do credor-mor alemão. Saída do Euro? Segundo resgate? Não tem de ser assim. Aliás, não será assim. O pânico, tal como o ódio, não constroem nada.

Gaspar, Portas, Passos, em certo sentido, jogam com as peças e as cartas com que podem jogar, herdaram um jogo corrupto e viciado à partida, lidam com a complexidade das nossas obrigações externas e possibilidades reais do País. O desemprego e o propalado desbaste do Estado, com rescisões e despedimentos, não podem, nesta Hora, servir agendas políticas demagógicas muito menos a estéril acrimónia acerba dos grandes vociferadores e juízes instantâneos os quais nos não acrescentam um cêntimo mais nas nossas contas bancárias de sobrevivência.

Não pode voltar a ser Poder quem nos gerou uma dívida colossal, quem para nós pariu exercícios colossais e intrincados de problemas colossais para os anos e as décadas, PPP, Contratos Swap, e o fizeram ébrios de charla e instinto vendilhão, chamando Velha à velha inconsistente Ferreira Leite, hoje porta-voz do bom-senso em tempo de pré-naufrágio. O Partido Socialista fez Merda. Colossal. Não se pode esquecer.

Por isso, não apontem as vossas armas exclusivamente para Passos. Pensem na multidão, mole imensa, dos que urdiram, feixe a feixe, covardia a covardia, engonhanço a engonhanço, mentira a mentira, a situação corrompida e infrequentável do Regime Português tal como está. Pensem nos danos causados às várias gerações apenas com a desonestidade sorridente e optimista dos grandes comissionistas do Poder Político, passado recente. Faltou sentido de serviço, escasseou ética, competência, transparência, amor desinteressado pelas pessoas. Se o PCP, o Bloco de Esquerda e o PS querem ser Governo, unam-se de uma vez por todas, coliguem-se, entendam-se, preparem-se para ir a votos em 2015. Sejam democratas sempre, não somente quando vos convém.

O Exercício do Poder está cheio de lixo, crueldade, devastação, secura. Se mudarmos abruptamente de actores, mudaremos apenas abruptamente de administradores do lixo, da crueldade, da devastação e da secura, perderemos tempo, colocaremos a esperança entre parêntesis.

Portanto, Esquerda à Esquerda da Esquerda, PCP/BE/PS, entendam-se, organizem-se. Coliguem-se. Nós estaremos aqui para opinar e votar. Tudo menos dar guilhotinas, granadas e metralhadoras aos filhos de Fouquier-Tinville.

Comments

  1. António loureiro says:

    Chega. É chegada a hora de olhar para Pedro Passos Coelho e Paulo Portas e mesmo para o obediente frankfürter Gaspar como o último reduto para o êxodo-êxito da Intervenção Externa. Perante a incoerência e cinismo do FMI/BCE/CE, são eles, e não outros, a nossa única e exclusiva esperança, última oportunidade para nos salvarmos colectivamente de desgraças maiores, da desordem política, do caos fútil, do descrédito internacional.

    Há muito tempo que não me ria tanto com um comentário! Este comentador é uma piada!

    • adelinoferreira says:

      Se o comentário do Palavrasaureo o fez rir,
      continue por estas bandas, que até a barriga
      lhe vai doer.


  2. Hoje apeteceu te um carcamano qualquer do século XVII a quem cortaram o pipo.
    Depois pareces o Barbas das Caldeiradas e misturas carapaus com lulas, peixe-espada, alhos e bugalhos, tudo mal temperado e com condimentos intragáveis. Deprimente. Quando desenvolves prosa não resta dúvida que – já aqui algum to disse – tratas bem a língua, mas depressa o conteúdo desce ao intestino grosso. Nove, 9 -parágrafos- 9, de dislate.

    Temos que pagar TODOS, 48 anos de obscurantismo que levam uma geração de filhos da puta de velhos a votar como votam: no primeiro filho da puta que lhes acena com uns euritos. Depois, não dá coisissima nenhuma mas como “isto” é o benfica-sporting dos camelos, ficam caladinhos e escondem a mão. Quando eu – que não voto e quero que TODOS os partidos políticos vão para a puta que os pariu – pergunto aos votantes se votaram neste (des)Governo sabem qual é a resposta, não sabem? Pois é….
    Meu caro, isto são tempos do fim. Isto já lá não vai com politica “desta”. Mais dia menos dia a bomba rebenta e os “gajos do guito” vão ter que pelo menos pagar a bom preço a segurança. (NO Brasil, por exemplo, dá trabalho a milhares de pessoas) Nem mesmo assim haverá certezas de nada.
    Sabes , Joaquim, (?) Tenho muito medo da fúria dos mansos. Muito mesmo!

    PS : Foi lapso ou esquecimento não teres escrito nada sobre o Sócrates?
    No dia que te convenceres que o gajo fez algum trabalho de geito em muitas áreas que os FDP dos teus amiguinhos andam a destruir talvel te apazigues.
    Mais não tenho amigos na politica nem quero. Sobre a sexualidade do Sócrates que um dia destes puseste em dúvida numa resposta que me deste, são coisas que não me interessam: cada um faz a sua vida. Até a “Catherine Deneuve” no Parque Eduardo VII…


  3. Errata. “No dia que te convenceres que o gajo fez algum trabalho de JEITO em muitas áreas que os FDP dos teus amiguinhos andam a destruir talvel te apazigues”.


  4. Cada vez acredito menos na política e nos políticos , por isso não voto . Nenhum político presta , mas dizer que o deprava-
    do e corrupto Socartes e seus apaniguados , fizeram alguma
    de jeito , é pior que o Deus me livre ,
    É que ele para esconder a sua paneleirice teve que desbara-
    tar o País com muitos biliões , pelos seus acólitos , e nem
    assim a indústria das panelas de barro deixou de entrar em crise e alguns coitadinhos até nem têm vegonha de viver à custa dos pais , apesar de terem moradias superiores de
    valor superuor a 1 milhão de euros .


  5. É muito mais fixe que isso.

    O país entrou para a CEE, como contrapartida, dos milhões de euros a chegar todos os dias foi condição aniquilar o sector produtivo, para abrir caminho aos grandes produtores europeus, depois foi necessário estimular o mercado interno, induzir o consumo massivo com juros baixos para comprarmos tudo o que eles tinham para vender.
    Não é por acaso que aparecem os mega-mercieiros, os hiper-construtores de habitações e os super-vendedores de automóveis.
    Tudo estava bem no paraíso até à crise financeira global quando os que emprestavam a juros e os que vendiam coisas (que eram os mesmos) se viram apertados sendo obrigados a desalavancar.
    Alguém crê que os mecanismos de desenvolvimento desde a adesão não tinha a concordância plena das grandes potências Europeias.

    Agora os micro-desgraçados que varram a sala que o baile terminou.

  6. João Paz says:

    Se bem percebi a publicação de palavrosavrs diz mais ou menos o seguinte: “Eles são muito maus,( obedecem à Alemanha que nos devora aos poucos diz noutra publicação), mas como há outros piores (para mim são EXACTAMENTE IGUAIS) apoiemo-los para nossa desgraça.”
    Enfim como exercício de masoquismo não estaria mal de todo se não fosse toda uma nação e todo um povo quem estivesse a ser destruído por esta cambada. Assim é simplesmente lamentável este apelo SUICIDÁRIO.

Trackbacks


  1. […] os adeptos dos exames de final de ciclo, por esta ou por aquela razão, que tudo isto é uma verdadeira palhaçada. Não existe motivo nenhum para continuar-mos a aturar as parvoíces deste governo, os gasto […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.