Perguntas a um perguntador

A quatro perguntas também posso responder perguntando, ficando implícitas informações ao alcance de um googlar?

Porque há-de o estado subsidiar negócios ou organizações religiosas? porque carga de água deve sair do orçamento geral do estado o lucro dos empreendedores, que fazem pior e mais caro que o estado?  porque será que o estado tem custos superiores com os contratos de associação do que tem com a sua rede escolar? desde quando é que uma empresa que visa o lucro e apenas o lucro faz melhor que um serviço público que tem por único objectivo a satisfação de uma necessidade social?

Porque não há-de um estado gastar mais com umas regiões do que com outras? deve um país abdicar do seu território? e se sim, vende esse território ou oferece-o gratuitamente a uma potência estrangeira interessada?

Porque se permite que umas escolas seleccionem os seus alunos, permitindo-lhes “chegar à frente”, deixando outras para trás? o que faz de umas crianças mais iguais do que outras? ou será que são mais diferentes?

E finalmente, porque se repete o mesmo choradinho quando há uma greve? será porque se sonha com um Portugal onde as greves sejam ilegais? será porque foi através de greves que os trabalhadores conquistaram direitos, e esses direitos enraivecem quem pretende um mundo onde os outros tenham apenas deveres, chegando-se à frente num constante escoicinhar dos que estão atrás?

Comments

  1. vitorcunha says:

    “E finalmente, porque se repete o mesmo choradinho quando há uma greve?”

    A esta pergunta também posso responder perguntando, ficando implícitas informações ao alcance de um googlar?

  2. Porque há-de o João José Cardoso escrever “estado” se se escreve “Estado”? :/

    • Porque ainda tenho liberdade de determinar o que merece e não merece uma maiúscula, não havendo no contexto da frase qualquer equívoco quanto ao significado do vocábulo. Exceptuando história e História (que têm uma grafia com tradições historiográficas) só uso maiúsculas nos substantivos absolutos em textos académicos e profissionais. Liberalismos, também os tenho, mais para o libertário.
      Aliás tenho mais direitos, liberdades e garantias quanto à ortografia, caso contrário escreveria com a ortografia oficial do estado.

  3. Dora says:

    A minha pergunta é esta: o que é que tem a meteorologia a ver com a actividade da construção?:

    “Reconheço que não estou nesta posição e tenho consequentemente amplo material para aprender com os meus próprios erros”, afirmou Vítor Gaspar, provocando risos nas bancadas mais à esquerda do hemiciclo.

    E foi ao deputado socialista Pedro Marques que o ministro das Finanças justificou com a meteorologia os números da queda do investimento nos primeiros três meses. “É muito preocupante”, começou por reconhecer Vítor Gaspar, antes de acrescentar que esse indicador estava “adversamente afectado pelas condições meteorológicas que no primeiro trimestre afectaram a actividade da construção”.

    (Público)

  4. nightwishpt says:

    Esse blog dá-me urticária e vontade de cometer variados actos de violência.

  5. manelas@sapo.pt says:

    O governo devia era contratar pessoas para assegurar a vigilância dos exames e assim os professorzinhos já podem prosseguir com a sua greve à vontade.

Trackbacks

  1. […] Seguiram-se quatro perguntas, em que a factual tinha resposta e as ideológicas são de anedotário. […]

  2. […] Seguiram-se quatro perguntas, em que a factual tinha resposta e as ideológicas são de anedotário. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.