Os pobres não saem à rua

foto jn

foto jn – é melhor não clicar, que aumenta

Foram um fracasso as manifestações organizadas pela CGTP no passado sábado. Uma capitulação dramática da central sindical perante o povo e os trabalhadores. E a mobilização fraquinha, como se previa na bloga mais pura, verdadeiramente rubra.A coisa esteve feia, com o fortíssimo bloqueio ao Porto de Lisboa propagado por gente que sonha um dia ser estivador e vê nesta classe profissional o alfa e o ómega da luta de classes. Capitulou a CGTP, caramba, e a vanguarda pura, justa, continua sem conseguir mobilizar as massas e, em lugar de procurar respostas para a sua incapacidade, alinha com a direita no ataque à Inter. Afinal, nem o Sindicato dos Estivadores apelou ao bloqueio, mas antes à presença num plenário de trabalhadores. Queres ver que estes também recuaram e tal? Capitulantes, todos. Menos os justos, os puros, os bufos, que vêem no seu círculo quadrado da mesa de café – ou do facebook, pronto – a realidade virtual da indignação que já chegou ao ponto da desobediência organizada. Precisamos de tendas em frente à AR, isso é que foi uma grande vitória da vanguarda, que depois teve de ir embora, porque isto da luta é coisa que custa à brava

No Porto tivemos uma pequena manifestação, como se vê na foto, fora os que não couberam na lente. Sem pobres, como diz Portas, porque esses não saem à rua e não aparecem na tv. Esta pode bem ser uma nova medida governamental: impedir os pobres de sair à rua para não incomodar o turismo. Apesar dos Aliados cheios, como não em lembro de ter visto. E sim, as últimas manifes têm sido sempre maiores que as anteriores, mas, já se sabe, os pobres não saem à rua.

Para a direita e para os supostos donos da esquerda, só saem à rua os alienados, instrumentalizados, acéfalos, que seguem de olhos fechados tudo o que é ditado por uma entidade superior. E, à esquerda, a linha pura vocifera contra os organizados porque não tem organização, a direita acha que são os ricos que se manifestam. E vivem os dois, alegremente, no seu mundo de fantasia.

Os dois atacam felizes a CGTP com argumentos mais ou menos semelhantes. A luta organizada dos trabalhadores diz pouco a ambos. Uns, porque querem que ela seja deles, outros porque sabem o poder que tem e isso assusta-os. Ficam eles felizes enquanto encomendam as manchetes do SOL, sejam da esquerda pura ou da direita mais fascizante.

A esquerda pura faz lembrar a ONG do Morro no Tropa de Elite I. Preocupações sociais e tal mas vamos malhar nas organizações a que os trabalhadores aderem livremente, que a luta pela libertação dos povos há-de vir de nós aqui sentados, sem noção das lutas nos locais de trabalho, nas empresas, entre os desempregados.  A luta faz-se com quem faz de profissão ser “activista social”, seja isso o que for.

Valha-nos Portas, que os coloca a todos de acordo: os pobres não aparecem na tv. Talvez por isso não os conheçam.

Comments


  1. os pobres saem e de que maneira,a começar por mim,o problema é que o assassino portas acha que quem recebe rsi 2ooe é rico


  2. Eu não posso concordar com este post, pois vi outra coisa completamente diferente. Pobres, ricos, remediados, deviam ser 3 ou 4 milhões de pessoas na ponte. As más-línguas dizem que a ponte não aguenta com tamanho peso, mas como está na Constituição que a ponte tem de aguentar, a ponte aguenta. E valeu a pena! O governo caiu e foi logo substituído por outro, amigo do povo, dos trabalhadores, das crianças, dos idosos, dos animais e das plantas e que no parlamento conta com um apoio alargado. O desemprego baixou logo para -2%: as empresas agora contratam com salários altos que lhes anula por completo o lucro. O défice? Coisa do passado: amanhã vamos emprestar dinheiro à Alemanha e resolver os problemas da Grécia. Os salários aumentaram: os funcionários públicos foram todos promovidos e passaram a ganhar mais 250 euros por mês (em média); e nas escolas temos 1 professor por cada 0.5 aluno. As obras públicas foram retomadas em força: o túnel do Marão já passa na serra da Estrela e já se meteram mais 3 auto-estradas Porto-Lisboa entre a A1 e a A29. O PR até rejuvenesceu 20 anos e já não tem aquele ar de múmia paralítica. A comissão europeia rejubila com o já chamado “Portuguese miracle” e todos os povos da Europa anseiam pela franchise da CGTP.


  3. Reblogueó esto en fermin mittilo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.