Charlie Hebdo – a barbárie mora ao lado

charliefy

O que aconteceu hoje no jornal “Charlie Hebdo” só será surpresa para os distraídos.

O Primeiro-ministro francês já disse uma parte do que tinha de ser dito: “acto de barbárie excepcional”. Porém, falta o resto. Falta uma verdadeira discussão séria, em França e na Europa, sobre o problema do terrorismo (interno). Sim, terrorismo sem qualquer acrescento. Nos media e nas redes em França todos (ou quase) falam em terrorismo islâmico. Pode ter sido. Ou não. Nunca esqueço que em Madrid (Atocha) o governo de Aznar se apressou a colar à ETA os atentados…

O problema é grave. Por força do comportamento extremista alucinado de uma minoria no seio das centenas de milhar de muçulmanos que vivem e trabalham na Europa, os partidos radicais estão a ganhar votos e poder. A Frente Nacional está a um passo de vencer as eleições legislativas francesas. É fundamental que a comunidade muçulmana na Europa lidere a batalha contra o terrorismo. É a única forma de evitar a escalada vitoriosa do radicalismo oposto. É sintomático que hoje, em França (e na Alemanha, na Bélgica, na Holanda, etc.) sejam outras comunidades outrora olhadas de lado (africanos, asiáticos, etc.) a apoiarem os partidos que defendem medidas radicais contra as comunidades muçulmanas.

Uma coisa é certa, por este andar vamos todos ser derrotados pelos radicais de um e outro lado. E o dia seguinte será negro…

Comments

  1. joao lopes says:

    “comportamento extremista alucinado…” pode ser aplicado a qualquer grupo de pessoas,independentemente da sua origem social,religiosa,politica,ou outra.assim de repente lembro-me do tipo nordico que matou mais de setente pessoas, do EI, ou os japoneses loucos do gaz sarin.tambem me lembro que a constitutiçao americana permite a facil compra de armas.sem esquecer os enormes lucros das empresas…de armamento


  2. Não foi um acto de barbárie. Foi um acto de covardia e de canalhice.


  3. obrigado a Cabu e Wolinski de me terem feito gostar da França antes mesmo de a conhecer.


  4. atentado da gare de Bolonha nos anos 70
    primeiro atribuído às Brigadas Vermelhas, depois descobriu-se que foram neo-fascistas.

  5. LindaMenina says:

Trackbacks


  1. […] à imagem dos habitantes de Canelas ou se Maomé tiver alguma semelhança com os assassinos de Paris e da Nigéria, são entidades perfeitamente […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.