O Estado sai cada vez mais caro ao contribuinte…

“Usem mais transportes públicos”, “deixem de fumar” e “moderem” recurso ao crédito

Comments

  1. Konigvs says:

    Se deixarmos de usar transportes públicos, de fumar e de ter dinheiro no banco… logo se inventarão novos impostos para ir buscar o dinheiro a algum lado.
    Imposto de horas de sol, de horas de chuva – como é possível que não se tribute a água que cai de borla do céu? – Imposto de cagar aplicado no papel higiénico – nem sei como é que o Coelho não se lembrou de um imposto desses, afinal limpar o cu a papel não é nada “verde” e ecológico porque estamos a destruir as árvores! – imposto dos peidos que se dá e se liberta monóxido de carbono para a atmosfera… bom enfim, o céu é o limite no que toca a inventar novos impostos. Afinal, aplicar impostos é sempre constitucional não é?

    E eu que quando era pequeno, que pensava que para se ser primeiro-ministro tinha que se ser muito inteligente. Afinal não, basta saber uma coisa: saber aumentar os impostos. O problema é quando se aumenta os impostos, mas se recebe ainda menos dinheiro…mas isso agora não interessa nada.

  2. Nightwish says:

    Quem andou a obrigar que pagássemos os problemas dos bancos nacionais e estrangeiros foram os correligionários do rodinhas, não tem nada a ver com o tamanho do estado.


  3. Longe vão os tempos em que o primeiro-ministro nos exortava a não sermos piegas, a emigrar e a sermos poupadinhos. Mudam-se os tempos, mudam-se os conselhos, não é mesmo António? 🙂


    • Substituiu-se um mau primeiro-ministro, por um primeiro-ministro mau, estas declarações são inacreditáveis e se os portugueses as seguissem acabariam a pagar outro imposto, para permitir obter a mesma receita…


  4. São impostos que não me chocam muito para te ser sincero. Choca-me muito mais o embuste do IVA da restauração por exemplo!