Quanto vale uma condecoração presidencial?

CS

Cavaco Silva condecorou mais uma fornada de ex-governantes. Nada de novo. Não posso, contudo, deixar de expressar a minha surpresa ao verificar que Luís Campos Cunha foi um dos escolhidos pela personagem para ser reconhecido pelo “espírito patriótico e de serviço” no desempenho das suas funções governativas. Até porque o antigo ministro de José Sócrates não chegou sequer a aquecer a cadeira, tendo apresentado a sua demissão quatro meses após a nomeação, o que de resto revela o elevado sentido de patriotismo e de serviço de Campos e Cunha. Mas não me choca. E não me choca por dois motivos: em primeiro porque o acto de condecorar alguém está tão banalizado que não faltam exemplos de políticos suspeitos, maus gestores públicos e altos quadros de bancos e empresas privadas envolvidos em variados esquemas com uma medalhita na estante do escritório. Em segundo porque Campos e Cunha tem sido uma voz activa contra as derivas de esquerda do PS e a direita precisa de pessoas assim.

Foto@Diário Digital

Comments

  1. Afonso Valverde says:

    Figuras tristes da parte de todos. Esta democracia tem destas provindas.

  2. Nascimento says:

    Já olharam bem para Fotografia? Olhem que há funerais mais… e que tal uma comendazinha para um PIDE? Ainda vai a tempo?