O jornal do incrível

I ne can ne I ne mai tellen alle þe wunder ne alle þe pines ðat hi diden wrecce men on þis land.

The Peterborough Chronicle

***

o-jogo

Depois de termos passado pelo Record e pelo jornal da irresponsável resistência silenciosa, para terminar o périplo, só faltava mesmo O Jogo, o jornal do incrível — este e não aqueloutro.

Os meus votos de Óptimas Festas.

Efectivamente.

Até 2017.

***

Comments


  1. O horror é sempre indizível, seja em português, inglês ou neste inglês medieval, independentemente dos acordos ortográficos! Como diz o texto medieval, é uma tortura para nós, desgraçados.

  2. nuno says:

    De qualquer modo, use-se ou não o AO 90, “pára” deve ser sempre escrito como O Jogo fez se quiserem que os leitores percebam do que se está a falar. Em muitos casos, será a maior das loucuras retirar o acento, fica a frase polissémica em vez de precisa e de sentido cerrado. Ter na primeira página “Horta pára um mês” ou “Horta para um mês”, como no Record, tem significantes diferentes – o que sucede em muitas circunstâncias – tal foi a loucura que os acordistas inseriram na conjugação

  3. Emanuel says:

    http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2017-01-04-Santana-Lopes-diz-que-Antonio-Domingues-deve-desamparar-a-loja

    “António Vitorino sublinhou que era expetável o adiamento da luz verde do BCE para a nova administração da Caixa”

Trackbacks


  1. […] regressa aos tempos em que resistia silenciosa e irresponsavelmente.  Efectivamente: silenciosa e irresponsavelmente. Aparentemente, silenciosa e irresponsavelmente? Não! Efectivamente! Efectivamente, silenciosa e […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.