Braga, a cidade acomodada

braga-cidade-lixo005

Bem-vindos a Braga, a cidade normal.
Bem-vindos ao normal quotidiano normal, o novo normal que dura há anos, que se tornou tão normal e tão banal que o novo normal é esperar que chova
Bem vindos ao feira nova, bem-vindos às Enguardas, bem-vindos a São Victor, bem-vindos às traseiras da Rua do Souto e da Avenida da Liberdade.
Bem-vindos à cidade de que ninguém gosta.
Bem-vindos à cidade onde as pessoas se queixam de, num 4 de Dezembro, ainda não haver luzes de Natal nas ruas do centro quando, na verdade, se queixam de não haver luz pública todos as outras noites do ano.

Bem-vindos a Braga. É bom viver em Braga?

Ignorância do jornalismo

Declaração de intenções: nunca votei no PC. Por outras vias, sou muitas vezes acusado de ser quase anti-PC primário. Diria que talvez, mas só quando ele aparece a festejar uma vitória com um chouriço, sublinhando a nova política desportiva do Herrera ou dos seis milhões do central do Braga. Falasse assim quando perde e talvez a solução estivesse mais perto que o fim.

Mas, o post não era para ser sobre isto. Fugiu-me a tecla para o sentimento.

Dizia eu, que não sendo eleitor comunista, olho para o Congresso do PC como um encontro de gente que, acima de tudo faz política. Eles não brincam em serviço e as Teses são mesmo discutidas. Quem ouviu algumas das intervenções percebe que eles não estão (pelo menos todos) atrás de um tacho ou apenas a tentar ganhar palco. Para um comunista a actividade política é muito mais que isso. As entrevistas a alguns “comunistas comuns” mostraram que são de facto gente com outra preparação. E, nesse campo, nenhum partido português os bate.

Apesar da boa cobertura do Bloco, das sistemáticas sondagens, cada vez com resultados mais longe da verdade do voto…

Acompanho por isso integralmente o João Ramos de Almeida: “Nada de novo, portanto. Nada se aprende. Nem com Trump, Le Pen, etc., etc.”

Em oposição a esta pobreza da nossa Comunicação Social, a forma séria e inteligente como Adelino Maltez, hoje em representação da Reitoria da Universidade de Lisboa, falou na SIC Notícias.

O barulho das luzes

Depois de, segundo as suas próprias palavras, ter passado o tempo das megalomanias com o dinheiro do povo, o autarca de Gaia aumenta em 1254% (mil duzentos e cinquenta e quatro por cento) o gasto da Câmara Municipal de Gaia com luzes natalícias. São cerca de 300 mil euros de dinheiros públicos gastos em lâmpadas e outros ornamentos, a menos de um ano de eleições autárquicas, por um município que ainda há pouco se dizia em pré-falência. Este valor representa mais do dobro do que anunciou a Câmara Municipal do Porto, que irá gastar 137 mil euros.

É por este motivo, e outros semelhantes, que se torna muito difícil de compreender a intenção manifestada pelo actual governo de isentar os autarcas de qualquer responsabilidade financeira na gestão das Câmaras Municipais.

Pobre Passos, nada lhe corre bem

ppcrr

Segundo o Público, que para o caso deve ser considerado uma fonte relevante, não fosse David Dinis o seu director, o candidato do PSD para a Câmara Municipal do Porto está escolhido. Trata-se de Álvaro Almeida, professor e antigo presidente da Entidade Reguladora da Saúde. Um independente.

p

A confirmar-se a informação presente nesta notícia, ficamos a saber duas coisas. A primeira é que o PSD não conseguiu, entre dezenas de milhares de militantes, encontrar um candidato válido, capaz de se bater com Rui Moreira. A segunda, apesar de não ser tão afirmativa, mas antes algo que o Público “apurou”, é que Rui Rio será convidado para mandatário da campanha, naquilo que seria considerado, segundo as informações do jornal, um sinal de compromisso do potencial substituto de Passos Coelho com o partido. No improvável cenário do PSD ganhar a eleição no Porto, a vitória poderia transformar-se num quebra-cabeças para Passos: no município para o qual não conseguia um candidato do aparelho, seria um independente a resolver o problema. Com a bênção do seu mais recente pesadelo. Como se o impasse em Lisboa não fosse já mau demais. Pobre Passos, nada lhe corre bem.

Foto: Luís Barra/Expresso

Um dia decisivo para a Europa

nh

Hoje é mais um dia decisivo para a Europa. A ameaça está de volta e a Áustria poderá ser o próximo país governado pela extrema-direita. Ao contrário daquilo que afirma o DN, Norbert Hofer não será “o primeiro chefe de Estado da extrema-direita na Europa desde a Segunda Guerra Mundial“. Esse título já foi atribuído a Viktor Orbán. Mas não se preocupem com nada disto. O perigo real é esse tratante do Tsipras e a diabólica Geringonça. Putin, Le Pen, Trump, Farage e Geert Wilders send their regards!

Foto@Heute

Reconhecê-lo seria péssimo

e

O Expresso mente. Podia antes escrever, para soar menos severo, que o Expressso cometeu um erro ou que foi impreciso. Tendo em conta que quem o escreve, a jornalista Joana Nunes Mateus, tem insistido em fazer do Expresso uma espécie de segundo Observador, a conclusão mais provável é mesmo a inicial. Contrariamente ao que diz o título do artigo linkado abaixo, a economia portuguesa não cresceu no 3o trimestre à boleia das exportações. Mais de metade do crescimento do PIB é explicado pela procura interna, sendo decisivo o contributo do consumo privado. Claro que reconhecê-lo seria péssimo para quem precisa muito que se mostre que a estratégia da devolução dos rendimentos falhou. Mas esse não é suposto ser o papel de um “jornal de referência”, pois não?

Ricardo Paes Mamede

Reconhecê-lo seria péssimo. Como é que se justifica uma coisa destas aos devotos do culto catastrofista? É desta que o Diabo foge de F-16 para a Roménia. Sem impacto no crescimento do PIB.

Entretanto, na Marktest.

Imagem via Os truques da imprensa portuguesa

Pedro Marques Lopes explica

o mais recente tiro no pé do PSD.

Novo desenho táctico para resolver os problemas do FC Porto

porto

Depois de quatro empates a zero, a solução saltou do banco, chama-se Rui Pedro, tem 18 anos e é do Norte, carago!

Fonte: Tribuna Expresso