A Terra é Uma. Uma Terra. (2)

Menzies, Austrália.

Terrorismo liberal-fascista ao serviço da destruição da natureza

Reef.jpg

A Grande Barreira de Coral sofreu um “colapso catastrófico” nos últimos anos. É o que afirma um grupo de cientistas em artigo publicado na revista Nature, suportado por um estudo iniciado em 2016, que dá conta do aquecimento do mar, fruto das alterações climáticas, que matou cerca de um terço dos corais na zona norte do recife, com impacto directo em toda a flora e fauna marítima daquele santuário natural. E os danos são irreversíveis. [Read more…]

E os portugueses também descobriram a Austrália

os portugueses descobriram a Austrália

REUTERS/Handout

Não é novidade – tem tudo que o ser? -, mas para fugir ao frequente registo nacional de autocomiseração, aqui fica uma nota diferente.

Um mapa marítimo do século XVI num cofre de uma biblioteca de Los Angeles prova que os aventureiros portugueses, não britânicos ou holandeses, foram os primeiros europeus a descobrir a Austrália, diz um novo livro que detalha a descoberta secreta da Austrália. [Michael Perry, Reuters, 21/03/2007]

Ecos da destruição do planeta

Percebes que o planeta está em apuros quando uma baleia quase sucumbe às garras de um saco de plástico e é salva por pescadores. Parece tirado de um filme mas aconteceu mesmo, na Austrália. A baleia agradeceu mas o Homem continuará em guerra aberta a todos os animais. A sua espécie incluída.

A anedota do dia que não é uma anedota

escola islâmica australiana proíbe raparigas de correr para não perderem a virgindade. Está cada vez mais difícil de enviar um lote de 40 para o paraíso…

Banha da cobra ou ciência?

As previsões económicas do banco central australiano são tão boas como mandar uma moeda ao ar (em inglês). Estas previsões, lá como cá, são usadas para decidir o nosso futuro. Assustador.

Orquídeas IV: Cymbidium

Hoje vamos mostrar um Cymbidium.

Cymbidium, Orquídea
Cymbidium, Manuel Lourenço (Vila Nova de Gaia, Portugal)

Este género é hoje bastante comum nas varandas das nossas casas, mas começou por ser uma planta de outras paragens: das montanhas da Índia e da Ásia e também são muito frequentes na Austrália e na Califórnia.

Uma haste pode ter um número muito variado de flores, que têm também formas, cores e dimensões muito diversas.

E a ligação que sugerimos hoje remete para um site australiano. Espreite. Vai gostar.

Estou de acordo e não sou xenófobo!

Se  não está  contente aqui PARTA. Não o forçamos a vir aqui. Você pediu para estar aqui. Assim aceite o país que VOCÊ aceitou.’

‘Este é o NOSSO PAÍS, NOSSA TERRA e o NOSSO ESTILO DE VIDA e nós lhe daremos todas as oportunidades para desfrutar tudo isso. Mas uma vez que você acaba a reclamar, lamentar e se queixar acerca da Nossa Bandeira,  Nosso Penhor, Nossas Convicções Cristãs ou Nosso Modo de Vida, eu recomendo fortemente que você tire proveito de uma outra grande liberdade que o povo australiano, lhe reconhece : “O DIREITO de IR EMBORA.”

Estas considerações são de uma razoabilidade cristalina, frontais, de alguem que ajudou a construir um país maravilhoso, assim, e não de outra maneira, com estas características. Quem escolheu lá viver tem que cumprir a escolha do povo australiano, ou ir embora.

Isto, colocado assim, é xenofobia?

Um País Que Não Protege As Crianças?

.

E NEM TIRARAM A CRIANÇA AOS PAIS!

.

Ao contrário de uns e outros, na Austrália deixam as pessoas seguirem as suas ideias e os seus sonhos.

Laura Dekker, não teve a mesma sorte. O País não era o mesmo, as ideias não eram as mesmas e a idade também não. Teve ainda o azar de ter um País (as respectivas autoridades) que se meteu onde se calhar não deveria, e a retirou à custódia dos pais, como se eles fossem criminosos.

Jessica Watson (a jovem de dezasseis anos que, sozinha, vai dar a volta ao mundo num barco à vela), vive num País diferente, com ideias diferentes, com pessoas diferentes. Está a cumprir o seu sonho, com o apoio dos pais e das autoridades locais.

Partiu hoje para uma viagem solitária de oito meses.

Boa viagem, Jessica.

.