O Operário em Construção

Poema de Vinicius de Morais declamado por Mário Viegas.

Porra para o Cavaco, porra! Pim!

 “O Cavaco pesca tanto de economia que até faz quadras populares à António Aleixo com as ligas da sua Maria Cavaca.”

Mário Viegas e o seu “Manifesto Anti-Cavaco”, de 1995, que periodicamente volta a ser actual.

Chegou a Maria Filomena Mónica, evacuar as mulheres e crianças primeiro

Em defesa de Rui Ramos (doutorado em Ciência Política pela Universidade de Oxford) acorre hoje, no Público, Maria Filomena Mónica (doutorada em Sociologia pela Universidade de Oxford) acusando Manuel Loff (doutorado em História e Civilização pelo Instituto Universitário Europeu) de ser “um fanático”.

Depois de assumir isto

Nunca ouvira falar de Manuel Loffe (sic) teria vivido bem sem com ele me ter cruzado nas páginas deste jornal.
Suponho que a direcção não o chama à pedra devido ao medo de ser acusada de censura.

o delírio chega ao ponto de escrever:

Li a História de Portugal, coordenada por Rui Ramos, de ponta a ponta. O seu autor é de direita e eu sou de esquerda

Maria Filomena Mónica é de esquerda? pois sim, e invocando os Grandes Mários, eu sou a Josefa de Óbidos.

Texto da Separata Gratuita de Mário Henrique-Leiria

Lamento de um pai de família

de Jorge de Sena e por Mário Viegas. Tem filhosdaputa e tudo.

Quem não quiser ouvir, também pode ler:

Lamento de um pai de família

Como pode um homem carregado de filhos e sem fortuna alguma, ser poeta neste tempo de filhos só de puta ou só de putas sem filhos? Neste espernegar de canalhas, como pode ser? Antes ser gigolô para machos e ou fêmeas, ser pederasta profissional que optou pelo riso enternecido dos virtuosos que se revêm nele e o dececionado dos polícias que com ele não fazem chantage porque não vale a pena. Antes ser denunciante de amigos e inimigos para ganhar a estima dos poderosos ou dos partidos políticos que nos chamarão seus génios. Antes ser corneador de maridos mansos com as mulheres deles fáceis.
[Read more…]

Hoje dá na net: A Cena do Ódio e FMI

Também porque hoje é dia, duas obras mestras da poesia portuguesa do século XX, quase gémeas nas duas pontas do século, e no meu gostar as máximas do seu tempo.
A Cena do Ódio de José de Almada Negreiros, genialmente teatralizada por Mário Viegas recriando a apresentação pública original.
Depois do corte o FMI de José Mário Branco, e os versos completos de ambos os poemas.

[Read more…]

A ode dos piegas

Cantiga dos Ais de Mendes de Carvalho dita por Mário Viegas.

Fernando António Nogueira Pessoa

Faz hoje 123 anos que nasceu. O Google lembrou-se, mas apenas para a sua pátria, a língua portuguesa. Tristeza.

Deixo aqui a mais bela homenagem que lhe foi feita, acho eu.

Louvor e Simplificação de Álvaro de Campos  de Mário Cesariny de Vasconcelos, dito por Mário Viegas

Ai! Que saudades de ti, Mário Viegas…

A 1 de Abril de 1996, aconteceu aquilo que, infelizmente, não foi uma mentira. Foi, antes, verdade e cruel.

António Mário Lopes Pereira Viegas faleceu há 14 anos, após prolongada doença.